By

São José de Anchieta, Apóstolo do Brasil e exemplo para os nossos dias.

Imaginemos, nos dias de hoje, um jovem de apenas 19 anos, que sem ter ainda concluído os seus estudos, resolvesse aventurar-se mundo afora, partindo para uma terra distante. Imaginemos um país do outro lado do mundo, por exemplo, a gelada e inóspita Sibéria, ou, não tão longe, um país muito pobre no Continente africano. Terras longínquas e desprovidas dos “encantos” de civilização que tanto atraem os jovens de hoje: internet, smartphones, redes sociais… Imaginemos esse jovem resolvendo aventurar-se por essa terra estranha, abandonando família, amigos, etc… Qual seria a reação da sociedade? Como esse jovem seria tratado? Seria taxado de louco, insensato, imprudente?

anchieta

Imaginemos mais!

Se esse jovem partisse para o outro lado do mundo, guiado por ambições materiais: Um emprego irrecusável, um salário astronômico, uma carreira brilhante, etc., certamente seria compreendido. Pois justamente, são esses os valores do mundo atual: dinheiro, poder, carreira.

Mas, e se essa partida se desse por razões outras? Digamos que o estímulo para essa mudança radical fosse o desejo ardente de fazer bem às almas, evangelizar – em suma, fazer apostolado? Bem podemos imaginar qual seria a reação das pessoas, da sociedade!

Pois foi justamente essa sede de almas que levou o jovem José de Anchieta a aportar, com apenas 19 anos, na Terra de Santa Cruz, o nosso Brasil, exatamente no dia 13 de Julho do ano de 1553. A partir daí, seria esta a sua terra, pelo resto da vida. Coragem e desprendimento!

Dois anos antes, com 17 anos, José de Anchieta ingressava na Companhia de Jesus, que havia sido fundada há poucos anos por Santo Inácio de Loiola. Obedecendo a seus superiores na Companhia, o jovem abandona a prestigiosa cidade de Coimbra, em Portugal, e parte para o novo mundo. Aqui faria um extraordinário trabalho apostólico, sendo, até hoje, exemplo de dedicação para Sacerdotes, catequistas, linguistas, literatos e outros. Ele soube aproximar-se dos povos nativos, entender a sua língua e, principalmente, soube entender o seu coração; assim, com trabalho incansável, convertê-los à verdadeira Fé. Mas, o Santo foi exemplo, sobretudo para os jovens, conforme recordou o Papa Bento XVI, dirigindo-se aos jovens do mundo inteiro no ano de 2012:

“Penso, por exemplo, no Beato José de Anchieta, jovem jesuíta espanhol do século XVI, que partiu em missão para o Brasil quando tinha menos de vinte anos e se tornou um grande apóstolo do Novo Mundo”, disse o Papa.[1]

Referindo-se àqueles missionários, comenta o Papa:

“Com grande entusiasmo, levaram a Boa Nova do Amor de Deus manifestado em Cristo, com meios e possibilidades muito inferiores àqueles de que dispomos hoje em dia.”[2]

Portanto, fica o convite para que procuremos imitar este grande Santo, cuja festa é celebrada pela Igreja em 09 de Junho. Que, a exemplo de São José de Anchieta, nos consuma, sempre, o zelo apostólico, a sede de almas!

O site dos Arautos do Evangelho (www.arautos.org) dedica inúmeros textos à narração da vida deste grande Santo, que recebeu do Papa João Paulo II o título de Apóstolo do Brasil. Para os que desejarem conhecer mais sobre a vida de São José de Anchieta, recomendamos especialmente o artigo intitulado São José de Anchieta, Apóstolo do Brasil, que narra sua vida com ricos e interessantes detalhes.[3]

Este texto também é uma homenagem às centenas de jovens missionários, que cotidianamente entregam sua vida pela Causa da Igreja e – em especial é dedicado aos jovens Arautos do Evangelho, em missão em África. Que São José de Anchieta seja sempre o protetor desses jovens desprendidos e corajosos.

Salve Maria!


[1] “Mensagem para a XXVIII Jornada Mundial da Juventude”, publicada em 16/11/2012, sobre a JMJ Rio 2013.

[2] Idem.

[3] Disponível em: http://www.arautos.org/especial/27085/Beato-Anchieta–Apostolo-do-Brasil

Faça um Comentário!

%d blogueiros gostam disto: