By

Exultai de alegria! Pertenceis inteiramente a Jesus Cristo!

Cerimônia de Consagração nos Arautos do Evangelho de Maringá

“A Igreja, sendo uma instituição divina fundada por Nosso Senhor Jesus Cristo, que é a Cabeça deste Corpo Místico, possui a própria sabedoria d’Ele e tudo faz com conta, peso e medida. Assim, ela dispõe dois domingos do ano que, em meio à penitência, trazem a alegria: o 3º. Domingo do Advento, chamado Domingo Gaudete, e o 4º. Domingo do Quaresma, denominado Domingo Laetare. O primeiro recebe este nome da palavra inicial da Antífona da entrada, extraída da Epístola de São Paulo, Apóstolo, aos Filipenses: “Gaudete in Domino semper: iterum dico, gaudete. Dominus enim prope est Alegrai-vos sempre no Senhor. De novo eu vos digo: alegrai-vos! O Senhor está perto” (4, 4-5)”1

Alegrar-se porque o Senhor está perto. Alegrar-se por pertencer inteiramente ao Senhor. De fato, estiveram imersos nestes pensamentos todos os 80 novos Consagrados – além de inúmeros amigos e familiares – que se reuniram no último Domingo, na Sede dos Arautos do Evangelho – Setor Masculino – em Maringá. A ocasião não poderia ser mais propícia: O Domingo da Alegria trouxe o ambiente adequado para que essas pessoas realizassem a sua Consagração a Jesus Cristo, pelas mãos de Maria, segundo o método proposto pelo grande santo mariano, São Luís Maria Grignion de Montfort. Depois de 8 semanas de preparação intensa e de terem realizado os exercícios espirituais preparatórios, além de uma boa confissão, chegou o dia tão esperado por todos!

A Santa Missa foi celebrada pelo Revmo. Pe. Mário Sérgio Sperche, EP, superior dos Arautos do Evangelho em Maringá. Durante a homilia, o sacerdote destacou que as leituras do Domingo Gaudete devem nos levar a fazermo-nos “um nada” diante do Senhor, imitando o exemplo do grande São João Batista, quando declara: “Eu não mereço desamarrar a correia de suas sandálias” (Jo 1, 27). Pois quanto mais praticarmos a humildade e nos rebaixarmos diante de Deus, mais Ele nos elevará, como cantou o Salmo, citando Maria Santíssima: “A minha alma engrandece ao Senhor, e se alegrou o meu espírito em Deus, meu Salvador, pois Ele viu a pequenez de sua serva, desde agora as gerações hão de chamar-me de bendita”.2 Portanto, concluiu o Celebrante, a Liturgia do 3º Domingo do Advento é um convite para abrirmos o nosso coração para Deus, sermos vigilantes, termos nossas lâmpadas acesas, sermos mais fervorosos, buscando, com alegria, a verdadeira preparação para o Natal.

Certamente, as pessoas que participavam da Santa Missa, realizando o gesto solene de Consagração, ou seja, fazendo de sua vida uma entrega mais completa a Jesus Cristo, pelas mãos de Sua Mãe Santíssima, puderam experimentar as graças dessa santa alegria! E durante toda a sua vida, sendo fiéis às graças recebidas poderão conhecer e experimentar muitos outros tesouros, os quais somente são encontrados na prática da Verdadeira Devoção. Pois, como diz São Luís Maria Grignion de Montfort no Tratado da Verdadeira Devoção: “Oh, quão feliz é o homem que tudo deu a Maria e que nela confia em tudo e por tudo. Ele é todo de Maria e Maria é toda dele. Pode dizer afoitamente com David: ‘Maria foi feita para mim’ (Sl 118,56); ou com o discípulo amado: ‘Eu a tomei como toda a minha riqueza’ (Jo 19,27); ou com o próprio Jesus Cristo: ‘Todas as minhas coisas são tuas, e as tuas são minhas (Jo 17,10)”.

Rogamos a Maria Santíssima que conceda graças especialíssimas a todos os novos Consagrados. Que Ela os cumule das mais esplêndidas bênçãos de Mãe e os guie – a cada dia – a um Amor crescente, insondável e infindável a Seu Divino Filho, Jesus Cristo!

……………………………………..

1 Monsenhor João Clá Dias. O Inédito sobre os Evangelhos. Volume III – Ano B – pág. 43.

2  Responsório (Ct. Lc 1)

 

Faça um Comentário!

%d blogueiros gostam disto: