By

Feliz e Santo Natal!

Caríssimo leitor, desejamos um Feliz e Santo Natal! Nesta data tão importante para todos os cristãos, convidamos para juntos fazermos uma breve consideração a respeito do Santo Natal, voltando nossos olhos para o belo e inocente Menino Jesus, na fria gruta de Belém.

Quis Deus que o começo da meditação de todos os homens a respeito do Santo Natal fosse considerar como pequeno e pobre Aquele que é o Arqui-grande, Aquele cuja grandeza é infinita e o firmamento não pode conter. Como pode ser que um Deus tão grande e tão poderoso se fizesse tão pequeno por amor a nós? Aquele que é digno de toda honra, de toda homenagem e de toda adoração, quis nascer em uma manjedoura, sendo aquecido por um burrinho e um boizinho. É uma realidade tão alta e profunda que não conseguimos abarcá-la toda com um só olhar; tampouco com vinte mil olhares que fossem…

Se considerássemos apenas a inteligência divina de Nosso Senhor Jesus Cristo no Presépio. Se somássemos a genialidade dos maiores homens de toda a história – em todas as áreas do conhecimento humano – acrescida ainda da perfeitíssima e elevadíssima iluminação de todos os Coros Angélicos celestes, teríamos ainda uma ideia pálida e imperfeita da sublime Sabedoria do Homem-Deus, porque Ele já teve o pleno uso da razão desde o primeiro instante de sua concepção. Entretanto, é apenas um Menininho frágil e indefeso, que com um gesto simples pede um pouco de leite a Nossa Senhora, dependendo dEla inteiramente nas mínimas coisas. Oh Divino paradoxo!

Caro leitor, aqui vemos a grandeza da missão e da santidade da Santíssima Virgem: o Menino Jesus quis depender dEla em absolutamente tudo, nas mínimas coisas. Ela foi o sacrário vivo onde habitou a Sabedoria eterna e encarnada – o Deus todo-poderoso que veio ao mundo para a nossa redenção – sendo inteiramente fiel e submissa à vontade de Deus, pois Ela foi desde o princípio a “cheia de graça”. Também quis o Menino Jesus ter um Pai perfeito, descendente de Davi, que fosse o chefe da Sagrada Família – São José. O Divino Infante quis ser submisso a eles em tudo.

Peçamos a Nossa Senhora e São José neste Natal que nos conceda uma obediência completa à vontade de Deus, a exemplo do Menino Jesus, que se fez pobre e pequeno por amor a nós.

Os Arautos do Evangelho de Maringá desejam a todos as mais abundantes e especialíssimas graças nesta grande solenidade! Que o Menino Jesus nos conceda a graça de amá-Lo de todo o nosso coração, para um dia podermos contemplá-Lo eternamente no Céu. Salve Maria!