By

Meninos Mártires

 

O acontecimento que vamos narrar passou-se na Rússia, nos piores tempos do comunismo, que vem varrendo do seu território todas as religiões, mormente a católica.

Numa vila, perto de Petrogrado, havia um asilo de órfãos, com uma capela católica.

Os vermelhos (os comunistas) fecharam a casa alegando que não havia recursos para sustentá-la e expulsaram o capelão.

Aqueles maus soldados tiveram a sinistra ideia de converter a capela num salão de baile e, como a mesma estava fechada, resolveram arrombar a porta e profanar o que havia dentro.

Tomaram a resolução numa cantina, onde casualmente três meninos católicos ouviram a conversa.

Compreenderam que se tratava de profanar a casa de Deus e logo tomaram a resolução de defendê-la do melhor modo que pudessem.

À noite, os três meninos e mais alguns colegas seus penetraram na igreja por uma janela e montaram guarda junto do altar.

Os soldados, tendo arrombado a porta e penetrado na capela, ordenaram que os meninos saíssem imediatamente. Nenhum, porém, se moveu nem se arredou do seu lugar.

Os perversos comunistas atiraram, então, e mataram dois meninos. Quiseram, em seguida, arrastar os outros para fora, mas os meninos preferiram morrer a deixar de “proteger com seus corpos a casa de Deus”.

Os comunistas, ainda mais furiosos, dispararam de novo, e o sangue daqueles inocentes correu pelos degraus do santo altar.

A mãe de um deles, tomando nos braços o filho agonizante, perguntou-lhe:

– Meu filho, que fizeste?

– Defendemos a Jesus — respondeu —, e os maus não se atreveram a tocar n’Ele.

Faça um Comentário!

%d blogueiros gostam disto: