By

Homem das Dores

Nosso Senhor Jesus Cristo flagelado

Imagens que falam! Sim, as imagens falam, não por meio de palavras, mas comunicam pensamentos, propiciam reflexões, convidam à consideração dos aspectos mais altos de nossa existência. Através das imagens, podemos transcender para aquilo que um olhar superficial não alcança, mas que a observação mais atenta nos faz aprender e voar.

Contemplai esta Imagem. A ela bem se aplica, por excelência, as palavras do Profeta Isaias: Homem das dores, experimentado nos sofrimentos (Is 53, 3).

Nosso Senhor Jesus Cristo, flagelado. Homem das dores porque sofreu em seu Corpo adorável açoites crudelíssimos, bofetadas e cusparadas, a coroação de espinhos, os pregos na Cruz. Seria possível sofrer mais no corpo do que Jesus sofreu?

Experimentado nos sofrimentos. E quantos! Sua Alma adorável, no Horto das Oliveiras, contemplou com pavor a sua Paixão e Morte na Cruz, bem como os pecados e ingratidões da humanidade ao longo dos séculos. Poderia alguém ter suportado maior sofrimento moral do que Jesus?

Com poesia e dramaticidade, canta o Salmista: “Meu Deus, meu Deus, por que me abandonastes? […] Eu, porém, sou um verme, não sou homem, o opróbrio de todos e a abjeção da plebe […] Não fiqueis longe de mim, pois estou atribulado […] Minha garganta está seca qual barro cozido, pega-se no paladar a minha língua, vós me reduzistes ao pó da morte. […] Sim, rodeia-me uma malta de cães, cerca-me um bando de malfeitores. Traspassaram minhas mãos e meus pés: poderia contar todos os meus ossos.” (Sl 21, versículos 2, 7, 12, 16, 17).

Eis esta Imagem a nos falar. Certamente, muito nos encantamos com a divina figura, esplendorosa, do Salvador quando se transfigurou no Monte Tabor, ou na sua gloriosa Ressurreição. Mas, como estará nosso entusiasmo frente esta imagem dolorosa do Divino Redentor?

Assim comenta Mons. João Clá Dias, Fundador dos Arautos: “Nessa divina tragédia verei estampada a feiura e a maldade de meus pecados. A enorme quantidade de minhas faltas me confundirá de começo ao fim. Vós Vos tornastes um verme, foi possível contar Vossos ossos, morrestes por causa de meus pecados. ´Ó vós todos, que passais pelo caminho: olhai e julgai se existe dor igual à dor que me atormenta` (Lm 1, 12)”. ¹

Peçamos a Mãe Dolorosa que tenhamos o entusiasmo para todos os aspectos do Seu Divino Filho e, portanto, não sejamos indiferentes às suas dores e sofrimentos morais, que Ele os teve, por causa de nossos pecados. Que não fujamos da Cruz, mas a abraçemos com o mesmo amor que Nosso Senhor tomou em Seus ombros. Sejamos cheios de gratidão por tanto amor com que o Varão das dores nos dedicou.

Por Adilson Costa da Costa

____________________________

¹ Via Sacra composta por Mons. João Clá Dias. Disponível em: http://viasacrajoaocladias.blogspot.com.br/ – Acesso em 15 out 2014.

Faça um Comentário!