By

A Igreja e o universo da pesquisa científica

Refletir, questionar, pesquisar… eis os predicados próprios à natureza humana. Dotado de razão, o homem quando bem constituído em suas faculdades, se lança na busca do conhecimento. Movidos por este nobre anseio, pesquisadores fundaram associações e instituições de estudo e pesquisa nas mais diversas áreas do conhecimento. Surgem as academias científicas!

Saberia o caro leitor dizer qual a mais antiga academia científica do mundo? Outra pergunta: qual o espírito que norteou suas indagações e investigações? Apenas damos uma pista para sua resposta: ainda hoje esta academia existe e conta com prestígio e respeitabilidade internacional.

Pontifical_Academy_of_Sciences,_Vatican_-_entrance

Fachada da Pontifícia Academia de Ciências do Vaticano

Read More

By

Retirar-se para um lugar à parte, para ouvir a voz de Deus.

Após percorrerem os povoados, anunciando a Boa Nova, e fazendo curas em todos os lugares, “os apóstolos voltaram, e contaram a Jesus tudo o que haviam feito. Jesus os levou consigo, e se retirou para um lugar afastado na direção de uma cidade chamada Betsaida”. (Lc 9,10)

IMG_7517

Pe. Alexandrino Monteiro, S.J., na introdução de seu livro Exercícios de Santo Inácio de Loiola, narra que “os autores ascetas veem neste trecho do Evangelho uma indicação dos retiros espirituais, dias abençoados, que nos arrancam às nossas ocupações ordinárias e nos introduzem numa atmosfera toda celestial, para nos unirmos mais intimamente com Deus pelo recolhimento dos sentidos e afastamento do mundo, a fim de ordenarmos a nossa vida e tratarmos do importantíssimo negócio da nossa eterna salvação”.

Read More

By

Consagração a Nossa Senhora em Cascavel

Entre as numerosas notícias sobre o apostolado dos “Arautos no mundo” merece destaque a publicada na Revista Arautos do Evangelho deste mês de Janeiro de 2016.

IMG_6887_

Trata-se do Curso dedicado ao estudo do Tratado da Verdadeira Devoção a Santíssima Virgem Maria, realizado em Cascavel – principal cidade na região Oeste do Paraná, a 260 Km de Maringá – que culminou, no dia 30/10, com a cerimônia na qual 70 pessoas realizaram a sua Consagração Solene a Jesus Cristo, pelas mãos de Maria.

Read More

By

São Carlos Borromeu: o Santo que indicou e percorreu o caminho da Cruz

Ficamos impressionados, ou melhor, movidos à adoração Daquele que nos aconselhou a sermos como Ele, que é “manso e humilde de coração”, ao se manifestar não só em sua divina Misericórdia, mas também na sua Justiça, ao reprovar o mal.

Carlo_BorromeoE assim, quantas vezes O contemplamos admoestar e corrigir com palavras divinamente duras, as atitudes dos escribas e fariseus pelo fato de que, entre outras hipocrisias, “atam fardos pesados e esmagadores e com eles sobrecarregam os ombros dos homens, mas não querem movê-los sequer um dedo” (Lc 23, 4).

Bem diferente desta atitude reprovada pelo Divino Mestre, encontramos aqueles que não só indicam, mas trilham o caminho muitas vezes cheio de cruzes e, pelo exemplo, suavizam os sofrimentos alheios, atraindo-os para Aquele que é o Caminho, a Verdade e a Vida.

É o que podemos admirar na vida do grande São Carlos Borromeu, Bispo de Milão, Sucessor dos Apóstolos, Príncipe da Igreja e Servo do seu rebanho.scarlos

Conta-nos a história que, em 1576 a cidade de Milão fora atingida pela terrível peste que dizimava a população. Não somente as mortes causadas pela epidemia constituíam um grande sofrimento para o Pastor daquele rebanho, mas também sofria pelo fato de ver que ninguém se movia a auxiliar os atingidos pela doença, por medo de contágio.

Diz-se que “o amor engendra”, produz frutos. Viu o Bispo que apenas palavras não bastariam para mover as pessoas a socorrerem as vítimas.

Qual foi sua atitude? Mais do que palavras, ele próprio foi de casa em casa, procurando especialmente aqueles casos mais graves, consolando os aflitos e administrando os Sacramentos. Não bastasse isto, ele “saía, depois, à janela das casas e, com vozes que cortavam os corações, convidava tanto a sacerdotes como a seculares a que o ajudassem naquela obra de caridade”. ¹

Qual o resultado deste heróico exemplo e tão comovente admoestação?

As palavras comovem, o exemplo de São Carlos “arrasta”

O Padre Francisco Alves nos conta que “ante aquele formoso exemplo do Santo Arcebispo, muitos cidadãos se sentiram impelidos a socorrer os empestados. Até os sacerdotes, que haviam fugido, voltavam para sacramentar os moribundos, sendo coadjuvados por outros vindos do estrangeiro”. ²

Conforme narra nosso Sacerdote redentorista, deste holocausto a serviço do próximo, durante um ano e meio de epidemia, perderam a vida cento e vinte sacerdotes seculares, além de dois jesuítas, dois barnabitas e quatro frades capuchinhos!

Levou ainda, nosso Santo Bispo, sua dedicação para além dos limites do que se possa imaginar. Caminhando a pé descalço, promovia e fazia grandes procissões para obter de Deus misericórdia e que afastasse tal epidemia.

carlosbecristoCom efeito, São Carlos Borromeu imitou o Amor e o Holocausto de Jesus, d’Aquele que é ao mesmo tempo Sacerdote e Vítima por excelência, que teve como causa de sua total entrega – no dizer de Mons. João S. Clá Dias, EP – o amor por nós. ³

Assim são os Santos. Indicam o caminho da Cruz e do sofrimento e eles próprios o percorrem com santa ousadia!


¹ Pe. Francisco Alves, C.SS.R. São Carlos Borromeu e a epidemia In Tesouro de Exemplos. v. I, 2. Ed. Petrópolis: Editora Vozes, 1958, p. 160

² Obra citada, p. 160

³ Mons. João S. Clá Dias. Amor e holocausto In http://presbiteros.arautos.org/category/mons-joao-s-cla-dias/Acesso em: 04 nov 2015

By

Frase da semana: Em todas as tuas obras lembra-te dos teus novíssimos.

Em todas as tuas obras lembra-te dos teus novíssimos.

Livro do Eclesiástico, 7, 40

Inúmeros são os pensamentos, as ideais, convicções que preenchem e “alimentam” o nosso dia a dia e nos levam a praticar esta ou aquela ação. Atitudes e obras as mais diversas – numa perspectiva meramente humana e passageira – necessárias ou sem importância, boas ou, quiçá, más.

2953_M_2eebf947

No entanto, O Espírito Santo, no Livro do Eclesiástico, nos faz uma recomendação fundamental, para tudo aquilo que realizamos: “Em todas as tuas obras lembra-te dos teus Novíssimos, e nunca mais pecarás”. Ou seja, pensa naquelas últimas coisas que estão reservadas a cada um de nós: morte, juízo, inferno ou Paraíso.

“Em todas as tuas obras”, quer dizer, não somente quando rezamos ou vamos à Missa, fazemos jejum ou praticamos um ato de piedade, mas em tudo devemos nos lembrar e meditar sobre nosso fim último: a eternidade, o Céu.

É ou não verdade que, se cumprirmos com este conselho de Deus, teremos mais cuidado no que fazemos e assim Lhe agradaremos, evitaremos o pecado, e nos prepararemos para o Céu?

Mesmo as mais simples ações, como um trabalho físico ou algum estudo, o limpar uma sala, ou até fritar um ovo, em todas as obras, seremos mais felizes e poderemos constatar que na ponta de cada uma delas, haverá um grande prêmio, se a fizermos com intenção de glorificar a Deus, para o bem do próximo e, mediante isto, alcançarmos a salvação eterna!

Em outros termos, em nossas ações, “nosso único objetivo deve ser o de fazer a vontade de Deus a nosso respeito, e aí, sim, irmos ao encontro do ‘Filho do Homem vindo nas nuvens com grande poder e glória’”, conforme nos ensina Mons. João S. Clá Dias, ao comentar a vinda triunfal de Nosso Senhor Jesus Cristo, em seu Corpo glorioso, no fim do mundo.

Na realidade, esta Frase da Semana deveria ser a Frase de todos os nossos dias. E, após nossa morte, tendo passado pelo Juízo Particular, poderemos ouvir na felicidade plena a Voz do Salvador: “Vinde, benditos de meu Pai, tomai posse do Reino que vos está preparado desde a criação do mundo” (Mt 25, 34b).

Que este seja o ideal e a meta de nossas vidas. Assim seja!


¹ Mons. João S. Clá Dias, EP. Não devemos buscar as glórias deste mundo como um fim. In: _____. O inédito sobre os Evangelhos. v. IV, Coedição internacional de Città del Vaticano: Libreria Editrice Vaticana, São Paulo: Instituto Lumen Sapientiae, 2014, p. 525.

Veja o Sermão pregado por Mons. João Clá Dias, no qual trata tema relacionado com a Frase da Semana, sobre a Palavra de Deus posta em prática e a segurança da salvação eterna em