By

“Para o bem da Igreja”

Sem dúvida, o governo de Bento XVI se caracterizou, do ponto de vista humano, por uma atitude discreta e despretensiosa muito bem expressa nas palavras iniciais do seu Pontificado: “Os Senhores Cardeais elegeram-me, simples e humilde trabalhador na vinha do Senhor. Consola-me saber que o Senhor sabe trabalhar e agir também com instrumentos insuficientes. E, sobretudo, recomendo-me às vossas orações”.

“Como cristãos possuímos o futuro. E ele é nosso,
o futuro é de Deus”

Esses quase oito anos de Papado foram marcados também pelo temperamento reflexivo, lógico e coerente de Joseph Ratzinger, sempre propício a uma análise serena e profunda dos acontecimentos, sem fugir dos problemas mais complexos da realidade contemporânea. Esse modo de ser aliou-se, desde o seu tempo de professor na Universidade de Tubinga, com uma admirável ciência teológica e uma cultura humanística que o levaram a ser considerado como um dos principais intelectuais de nossa época.

Sobre estas inegáveis qualidades humanas, unidas a um espírito sempre voltado para o sobrenatural, paira, porém, algo mais elevado e decisivo: a assistência do Espírito Santo, que se derrama em abundância sobre o sucessor de Pedro.

Todas estas circunstâncias são fundamentais para se interpretar a renúncia de Bento XVI ao Papado e não podem, de modo algum, ser postas de lado ao analisá-la, sob pena de se incorrer em comentários frívolos, injustos ou fantasiosos.

Além do mais, as razões desse ato não são segredo. Elas foram claramente expressas no Consistório Público do dia 11 de fevereiro e repetidas em ocasiões sucessivas. Bento XVI renuncia, explicou no início da Audiência Geral de 13 de fevereiro, “para o bem da Igreja”.

Haverá outros motivos que Bento XVI tenha considerado prudente não revelar? Terá influído nessa decisão alguma preocupação concreta sobre o rumo que poderia tomar doravante o seu pontificado? Querer dar uma resposta a tais perguntas é, a nosso juízo, uma temeridade, pois nossas cogitações podem não corresponder hoje à realidade dos fatos.

Enquanto isso, cabe-nos manifestar com ênfase um entranhado amor pelo Sucessor de Pedro e pensar, como ele, unicamente no bem da Igreja. Eram esses, sem dúvida, os sentimentos dos fiéis que acolheram com longas e calorosas ovações suas palavras na mencionada Audiência Geral, e durante a Santa Missa desse mesmo dia. Igual reação tiveram os sacerdotes da diocese de Roma ao serem recebidos pelo Papa no dia seguinte, na Sala Paulo VI.

“Tanto quanto o Céu domina a Terra, tanto a minha conduta é superior à vossa e meus pensamentos ultrapassam os vossos” (Is 55, 9), diz o Senhor pela voz do Profeta. Bento XVI bem poderia fazer suas essas palavras , na presente conjuntura.

O fato é que, para além do operar dos homens, devemos considerar com toda a confiança o futuro da Igreja. Ela é “a árvore de Deus que vive para sempre, a portadora da eternidade e da verdadeira herança: a vida eterna” (Lectio Divina no Pontifício Seminário Romano Maior, 8/2/2013).

Editorial – Revista Arautos do Evangelho, nº 135, Mar/13

2 Responses to “Para o bem da Igreja”

  1. Leandro says:

    Com seus inúmeros livros podemos dizer que o Papa Bento XVI nos deixou forte contribuição teológica, fundamental para o crescimento espiritual da Santa Igreja. O título “Luz do Mundo”, um de seus dos últimos lançamentos, já se esgota em muitas livrarias.

    Leandro Ribeiro.

  2. Claudinei Ayala Brenha says:

    Muito oportuna a leitura desta reflexão pois leva ao conhecimento dos fiéis uma análise pautada na realidade. Ao contrário do que se vê junto à maioria dos meios de comunicação, que fazem julgamentos apressados e superficiais, o Pontificado do Papa Bento XVI se caracterizou pela humildade, coerênia e reflexão – conforme expõe o Editorial. As críticas formuladas pela imprensa e prontamente assimiladas por inúmeras pessoas (sem fazer um juízo de valor entre a realidade e o que se noticia) foram rechaçadas pela presença e palavras de apoio e afeto do 100 mil fiéis na Praça de São Pedro quando da última audiência do Papa.

Faça um Comentário!

%d blogueiros gostam disto: