By

60 anos da Câmara dos Vereadores

Desde 1953 a Câmara dos Vereadores de Maringá tem desempenhado as funções previstas em seu Regimento Interno, em especial a elaboração e apreciação de projetos de leis cujos efeitos incidem sobre a vida dos munícipes.

Os Arautos estiveram presentes na comemoração do 60° aniversário do Poder Legislativo Municipal. No dia 23 de junho a Casa estava em festa, repleta de autoridadese representantes da sociedade civil organizada. A seção foi dirigida pelo Presidente Ulisses Maia, contando com a presença dos vereadores da atual legislatura, ex-vereadores e ex-funcionários.

O gerente regional dos Correios Carlos Mariani fez o lançamento oficial, com a chancela do selo comemorativo de aniversário da Câmara. Foi também exibido um vídeo com um pequeno histórico do Legislativo em Maringá, além de outras homenagens, como a exposição no Hall da Câmara de fotos históricas do Legislativo.

Em continuidade à cerimônia os Arautos entraram em cortejo no Plenário, dando início ao concerto musical. Foram apresentadas as músicas Trumpet Voluntary, de Jeremiah Clark, Pavane, Die Schlacht, de Tylman Susato e Luar do Sertão, de Catullo da Paixão Cearense. Esta última foi entoada com uma letra adaptada para a ocasião. A apresentação encantou e sensibilizou os presentes, pois contou em versos um pouco da história da cidade.

 Luar da Câmara de Maringá

Ai que saudades do luar da minha terra

Lá na serra branquejando folhas secas pelo chão.

Este luar cá da cidade tão escuro

Não tem aquelas saudades do luar lá do sertão.

Não há, ó gente, ó não, luar como este do sertão!

Este luar me dá saudades de um passado

Que o tempo fez ficar dourando como o luar do sertão.

História de um povo que tem prosperidade

Mas seu tesouro é a bondade que conservou no coração.

Não há, ó gente, ó não, luar como este do sertão!

No seu começo vem paulista, vem mineiro,

Mas depois vem mundo inteiro, da Itália ao Japão.

Em Maringá nasce este povo hospitaleiro

Vive e trabalha o dia inteiro alegre com satisfação.

Não há, ó gente, ó não, luar como este do sertão!

Trabalho sem governo não dá em progresso

Governo sem trabalho peço, escutem, não vai produzir.

Se hoje se diz que Maringá é um sucesso,

Governo e trabalho, expresso, conseguiram se unir.

Não há, ó gente, ó não, luar como este do sertão!

Elevo a prece ao Governo do Universo

Rogo com este último verso, para esta casa proteção.

Sessenta anos para um homem é uma vida,

Mas para a Câmara querida, seja futuro e expansão.

 Até a próxima!

Faça um Comentário!