By

Juventude, ecologia e heroísmo: Guardiões da Natureza

No dia trinta e um de Outubro, os Arautos do Evangelho foram convidados a participar de uma cerimônia de formatura de suma importância para o futuro de Maringá e do mundo inteiro. Do mundo inteiro? Sim, trata-se da formatura de mais um grupo de Guardiões da Natureza. Formados por instrutores da Polícia Ambiental, estes jovens estão preparados para defender as maravilhas da natureza criadas por Deus, mas não só isso, para levar outros jovens a fazerem o mesmo, ou seja, ter uma postura ética e ativa em relação ao meio ambiente.

Trinta e seis jovens alunos do Lar Escola de Maringá, com idades de 10 a 14 anos, receberam instruções sérias e profundas a respeito de fauna, flora, poluição ambiental, matas ciliares e outros temas pungentes relacionados à preservação ambiental.

A cerimônia solene de formatura contou com a presença de numerosas autoridades ligadas à Polícia Ambiental, Prefeitura do Município de Maringá e administração do Lar Escola, dentre outras.

Após uma apresentação dos novos Guardiões com o canto do Hino Nacional Brasileiro e do Hino dos Guardiões da Natureza, acompanhada de uma ordem unida – em que estes jovens marchavam e respondiam com perfeição e força impressionantes aos comandos – teve início a entrega dos diplomas e as condecorações dos destacados alunos, avaliados em uma série de quesitos que incluem a avaliação do comportamento em casa e junto à comunidade.

Houve homenagens muito comoventes por parte dos alunos aos instrutores, mostrando a grande admiração e respeito que lhes devotavam. Também foi destacada pelo Capitão Buske, Comandante da 3ª Companhia de Polícia Militar Ambiental do Paraná, a presença do policial militar idealizador do projeto dos Guardiões da Natureza, que já formou trinta e seis turmas de jovens até hoje.

O coro e banda dos Arautos do Evangelho de Maringá estiveram presentes, executando melodias para o cerimonial e fazendo uma apresentação no final do evento, com músicas eruditas, número de percussão e uma homenagem especial aos Guardiões formandos através do canto de uma adaptação do “Luar do Sertão”, popular música brasileira, com a letra adaptada – a qual pode ser acompanhada no final deste Post – mostrando a importância da missão recebida por estes membros privilegiados da juventude de nosso País.

Os Arautos agradecem mais uma vez a oportunidade que tiveram de colaborar com a preservação das obras de Deus realizada pela Polícia Militar Ambiental de Maringá, desta vez com a formatura dos Guardiões da Natureza, projeto que, como pudemos constatar pessoalmente, oportuniza uma formação substancial e disciplinada aos jovens que não raro tem faltado em nossos tempos.

Parabéns a esta instituição, assim como à ordem das irmãs que mantém o Lar Escola e aos novos guardiões, jovens que tiveram a coragem de buscar a felicidade no heroísmo, num mundo que só a promete, enganosamente, no prazer. Como bem afirmou o célebre escritor da Academia Francesa de Letras, Paul Claudel: “a juventude não foi feita para o prazer, mas para o heroísmo”.

Luar dos Guardiões da Natureza

Catulo da Paixão Cearense

Adaptação: Arautos do Evangelho de Maringá

Ai que saudades do luar da minha terra,

lá na serra branquejando folhas secas pelo chão.

Este luar cá da cidade tão escuro,

não tem aquelas saudades do luar lá do sertão

Não há, ó gente, ó não, luar como este do sertão.  (Bis)

 

Se o luar lá do sertão nos dá saudade,

Não é só ele na verdade, que nos enche os corações.

Há as florestas, animais, rios e vales,

Que hoje sofrem muitos males, precisam de seus guardiões!

Não há, ó gente, ó não, luar como este do sertão. (Bis)

 

Por isso este Lar Escola especial,

Junto à polícia ambiental fizeram a combinação:

Se este lar quer formar o homem de bem,

Com o curso formará também, prá natureza o Guardião!

Não há, ó gente, ó não, luar como este do sertão. (Bis)

 

Quando Deus realizou a criação,

Fez em perfeita ordenação e pôs os Anjos pra cuidar.

E aqui na Terra chamou alguns na juventude,

Pra com coragem e virtude, com os anjos tudo preservar.

Não há, ó gente, ó não, luar como este do sertão. (Bis)

 

Agradeçamos aos tutores os valores,

O que é bom belo e verdadeiro, que cada um nos ensinou.

Guardem com amor, o que aprenderam é mais que o ouro,

E a natureza, este tesouro, que o nosso Pai do Céu deixou.

Não há, ó gente, ó não, luar como este do sertão. (Bis)

By

“Fui idoso e me visitastes”

No último dia 25 de Outubro, os Arautos do Evangelho realizaram uma apresentação musical no Asilo São Vicente de Paulo de Maringá.

A apresentação foi interativa, na qual um apresentador faz a ponte entre o público, o repertório e os músicos. A data escolhida, em comum acordo com a Diretoria do Asilo, foi a confraternização dos idosos e membros da instituição com os aniversariantes do mês de Outubro.

O coro e banda dos Arautos são constituídos, em sua maioria, de pessoas em idade juvenil, o que geraria um sadio contato social entre diferentes faixas etárias, aproveitando inclusive a natural simpatia dos idosos em relação aos jovens. Um dos idosos acompanhou as melodias com o violão, pois é maestro formado no meio militar.

As composições foram escolhidas de forma a causarem uma gradual e crescente participação do público nas músicas. Na primeira melodia portaram-se, sobretudo, como ouvintes. Na segunda, já foram convidados pelo “speaker” a acompanhar o ritmo com palmas, tendo como referência as batidas de um dos instrumentos que compõem a percussão: os pratos.

Este recurso trouxe mais movimento e alegria para o ambiente, quebrando certa distância inicial e natural entre o público e o grupo musical, possibilitando maior distensão e aproximação.

Na terceira peça, de origem espanhola, foi proposto um desafio: além do acompanhamento dos pratos com as palmas, foram convidados a bradar o tradicional “olé” em momentos específicos da música, ao sinal de um movimento em que o pratista levantasse seu instrumento. Após alguns ensaios do “olé”, os idosos participaram animadamente do número.

Por último, foi tocada uma música de origem brasileira e sertaneja, um pouco mais antiga, geralmente bem conhecida dos idosos: “Luar do Sertão”, de Catulo da Paixão Cearense, porém com a letra adaptada para a ocasião, ressaltando o trabalho feito com carinho, dedicação e profissionalismo por toda a equipe do Lar São Vicente de Paulo e a comemoração do aniversário de vários idosos e funcionários, tendo sido muito aplaudida.

Terminada a apresentação, foi servido um lanche de confraternização em que os idosos, vicentinos e funcionários puderam conversar com os componentes da banda, quando se confirmou o interesse dos idosos pelos jovens e pela música.

Na hora da despedida, o Diretor do Lar São Vicente de Paulo dirigiu palavras de agradecimento aos Arautos, mencionando os vínculos de amizade, já de longa data, que cresceram entre as duas instituições. Convidou o coro e banda a fazerem-se presentes em outros eventos promovidos pelos vicentinos, como, aliás, já tem acontecido.

A dedicação e o profissionalismo dos vicentinos e funcionários nos serviram de estímulo para buscarmos a perfeição no serviço a Deus e ao próximo. Não poderemos esquecer das fisionomias alegres dos idosos, nas quais se distingue, ao mesmo tempo, a marca do sofrimento, dos anos vividos e a alegria por momentos de convívio como este. Elas ficaram gravadas na memória e no coração dos Arautos; mas por quê?

Lembremo-nos das palavras de Nosso Senhor: “Estive enfermo e me visitastes.” (Mt 25,36)

Certamente as graças e a alegria que reinaram no asilo São Vicente de Paulo neste dia têm sua raiz na presença real de Nosso Senhor Jesus Cristo e de Nossa Senhora naquele local, a tal ponto que se poderia dizer: “Fui idoso e me visitastes”.

Até a próxima!

 

By

60 anos da Câmara dos Vereadores

Desde 1953 a Câmara dos Vereadores de Maringá tem desempenhado as funções previstas em seu Regimento Interno, em especial a elaboração e apreciação de projetos de leis cujos efeitos incidem sobre a vida dos munícipes.

Os Arautos estiveram presentes na comemoração do 60° aniversário do Poder Legislativo Municipal. No dia 23 de junho a Casa estava em festa, repleta de autoridadese representantes da sociedade civil organizada. A seção foi dirigida pelo Presidente Ulisses Maia, contando com a presença dos vereadores da atual legislatura, ex-vereadores e ex-funcionários.

O gerente regional dos Correios Carlos Mariani fez o lançamento oficial, com a chancela do selo comemorativo de aniversário da Câmara. Foi também exibido um vídeo com um pequeno histórico do Legislativo em Maringá, além de outras homenagens, como a exposição no Hall da Câmara de fotos históricas do Legislativo.

Em continuidade à cerimônia os Arautos entraram em cortejo no Plenário, dando início ao concerto musical. Foram apresentadas as músicas Trumpet Voluntary, de Jeremiah Clark, Pavane, Die Schlacht, de Tylman Susato e Luar do Sertão, de Catullo da Paixão Cearense. Esta última foi entoada com uma letra adaptada para a ocasião. A apresentação encantou e sensibilizou os presentes, pois contou em versos um pouco da história da cidade.

 Luar da Câmara de Maringá

Ai que saudades do luar da minha terra

Lá na serra branquejando folhas secas pelo chão.

Este luar cá da cidade tão escuro

Não tem aquelas saudades do luar lá do sertão.

Não há, ó gente, ó não, luar como este do sertão!

Este luar me dá saudades de um passado

Que o tempo fez ficar dourando como o luar do sertão.

História de um povo que tem prosperidade

Mas seu tesouro é a bondade que conservou no coração.

Não há, ó gente, ó não, luar como este do sertão!

No seu começo vem paulista, vem mineiro,

Mas depois vem mundo inteiro, da Itália ao Japão.

Em Maringá nasce este povo hospitaleiro

Vive e trabalha o dia inteiro alegre com satisfação.

Não há, ó gente, ó não, luar como este do sertão!

Trabalho sem governo não dá em progresso

Governo sem trabalho peço, escutem, não vai produzir.

Se hoje se diz que Maringá é um sucesso,

Governo e trabalho, expresso, conseguiram se unir.

Não há, ó gente, ó não, luar como este do sertão!

Elevo a prece ao Governo do Universo

Rogo com este último verso, para esta casa proteção.

Sessenta anos para um homem é uma vida,

Mas para a Câmara querida, seja futuro e expansão.

 Até a próxima!

By

Santa Missa em Cianorte

No último dia do mês de Maio, mês de Maria Santíssima, os Arautos foram convidados a participarem da Missa em homenagem a Nossa Senhora, na Paróquia São Vicente de Paulo, em Cianorte.

A Cerimônia foi presidida pelo Revmo. Pe. Roberto Takeshi Kiyota, EP, e concelebrada pelos Revmos. Pes. Edvaldo Gueleri (Pároco) e Edson Zamian Paisca (Vigário paroquial). A cerimônica contou com a participação do coro e banda dos Arautos, bem como a presença da imagem peregrina de Nossa Senhora de Fátima.

No fim da celebração, a imagem do Imaculado Coração de Maria foi esplendidamente coroada como Rainha da Paróquia São Vicente de Paulo e de Cianorte. Os Arautos também realizaram uma homenagem aos paroquianos, com a bela canção de Catulo da Paixão Cearense: Luar do Sertão. A letra foi adaptada para a ocasião.

Agradecemos ao Padre Edvaldo e ao Padre Edson pela fraternal acolhida, e esperamos ter a oportunidade de convivermos com os amigos de Cianorte em breve!

 

By

Procissão e Santa Missa em Arapongas

Os Arautos tiveram a alegria de participar, a convite do Revmo. Pe. José Roberto de Rezende, da Comemoração da Festa de Santa Rita de Cássia, na Paróquia de mesmo nome, em Arapongas.

Assim, no dia 22 de maio, última quarta-feira, deu-se início a solene Cerimônia em homenagem à Santa Rita de Cássia, com uma Procissão ao longo das ruas circunvizinhas à Paróquia, acompanhada da imagem da padroeira. O povo acompanhava a banda sinfônica dos Arautos cantando hinos em louvor ao Santíssimo Sacramento, a Nossa Senhora e à defensora dos fiéis paroquianos.

No fim da procissão, deu-se início à renovação do Santo Sacrifício do Calvário. A igreja, devidamente ornada para o culto divino, estava repleta com cerca de 800 fiéis, os quais encontravam-se na expectativa da grande cerimônia.

Foi uma Celebração cumulada de bênçãos e graças pela Santíssima Virgem, a qual foi esplendidamente coroada como Rainha da Paróquia Santa Rita de Cássia. O Celebrante, representando todos os fiéis coroou a fronte da imagem peregrina do Imaculado Coração de Maria. Todos estavam muito emocionados, aplaudindo com calor e entusiasmo a Rainha dos Corações.

Após a coroação, os Arautos ofereceram uma homenagem aos fiéis de Arapongas: foi apresentada uma música tipicamente brasileira, com a letra adaptada para a ocasião. Já nos primeiros acordes, puderam eles reconhecer a música típica do sertão brasileiro: Luar do Sertão. A letra também nos ensina um pouco da vida de Santa Rita. Segue abaixo a letra adaptada desta música tão singela, apresentada na ocasião:

Luar de Santa Rita de Cássia – Arapongas

Ai que saudades do luar da minha terra,

Lá na serra branquejando folhas secas pelo chão.

Este luar cá da cidade tão escuro,

Não tem aquelas saudades do luar lá do sertão.

Não há ó gente ó não, luar como este do sertão.

Este luar me faz lembrar coisa tão bela,

Alma santa como a dela é bem difícil encontrar.

Ó Santa Rita as nossas almas purifica,

Prá sua história tão bonita hoje esta Igreja relembrar.

Não há ó gente ó não, luar como este do sertão.

A verdadeira função do casamento

E a vocação para o convento, as duas pôde realizar.

Santificou e salvou o seu marido

Depois uniu-se a Jesus Cristo e fez da Igreja o seu lar.

Não há ó gente ó não, luar como este do sertão.

Desde o momento em que esta mãe maravilhosa

Se tornou religiosa, novos filhos adotou.

Cada cristão que existe aqui e no mundo inteiro

Foi premiado, por primeiro, filho de Rita se tornou.

Não há ó gente ó não, luar como este do sertão.

Hoje pedimos a intercessão de Santa Rita

Nesta data tão bonita, abençoai a todos nós.

Abençoai também ao bom Padre Rezende,

Pois junto dele a gente sente a voz de Cristo em sua voz.

Não há ó gente ó não, luar como este do sertão.

 Este texto é insuficiente para descrever o entusiasmo e encanto dos presentes durante a apresentação dessa música, saudada, ao final, com calorosa salva de palmas.

No fim da Santa Missa, os fiéis puderam se aproximar da imagem de Nossa Senhora de Fátima, para apresentarem seus pedidos à Rainha do Céu e da Terra. Em seguida, todos se dirigiram para as comemorações da festa da Padroeira: ambiente de alegria, como convém aos filhos da Santa Igreja Católica.

Agradecemos ao querido Padre Rezende e a comunidade de Santa Rita pela fraternal acolhida e esperamos ter a oportunidade de rever os amigos de Arapongas em breve!