By

Frase da semana: Muito me alegro com os vossos mandamentos

Muito me alegro com os vossos mandamentos,
que eu amo, amo tanto, mais que tudo!

Salmo 118 (119)

Esta Frase da Semana nos traz o Cântico de louvor do Salmista em que manifesta jubiloso, o quanto ama os Mandamentos do Senhor.

A quem se deve tal amor?

Este amor aos Mandamentos não é outro senão o amor a Nosso Senhor Jesus Cristo. “Se vocês me amam, obedecerão aos meus mandamentos” (Jo 14, 15), disse o Salvador aos Apóstolos.

Bom Deus de Amiens. Catedral de Amiens, França

Bom Deus de Amiens. Catedral de Amiens, França

E qual o fruto deste amor a Jesus Cristo e seus Mandamentos?

É a alegria incomparável que a alma tem, ainda que neste vale de lágrimas se passe por dificuldades e provações.

Seja, neste início de Ano Bom, a meta de nossas vidas: praticar com perfeição os Mandamentos – tanto quanto estiver nos desígnios da Providência – e assim alcançarmos a santidade, da qual a alegria é o seu fruto tão desejado, já aqui na terra e, sobretudo, na eternidade.

O leitor poderá indagar: Mas como atingir esta meta tão ousada, a mais ousada que uma pessoa possa conquistar? Sem dúvida, não será apenas por nossas forças, uma vez que somos seres contingentes. Como então proceder?

Mons. João S. Clá Dias, em meio à atmosfera natalina em que celebramos a Epifania, nos indica como alcançar a plena felicidade, fruto da prática dos mandamentos, e a quem recorrer:

Não procuremos as luzes mentirosas do pecado, mas a prática da virtude, recorrendo ao sobrenatural

“Devemos, portanto, estar sempre junto a Nosso Senhor, oferecendo-Lhe o ouro de nosso amor, o incenso da nossa adoração e a mirra das nossas misérias e contingências, pedindo constantemente o auxilio de sua graça.” [grifos nossos]

“Com os olhos fixos em Maria, imploremos: ‘Minha Mãe, vede como sou fraco, inconstante, miserável, e quanto preciso, ó Mãe, da vossa súplica e da vossa proteção. Acolhei-me, minha Mãe, eu me entrego em vossas mãos para que Vós me entregueis a vosso Filho’”.

E dirigindo-nos a São José, digamos: “Meu Patriarca, senhor meu, aqui estou, tende pena de mim, ajudai-me a pedir a vossa esposa, Maria Santíssima, para Ela ter sempre os olhos postos em mim’”.

“Roguemos aos Reis Magos que intercedam junto ao Santo Casal e ao Menino Jesus, para nos obter a graça de não procurarmos luzes mentirosas, mas seguirmos a verdadeira estrela, ou seja, a da pratica da virtude e do horror ao pecado.” ¹

Seja essa a prece do íntimo de nossos corações e seremos felizes neste Ano Bom, nos dias em que aqui vivermos e para toda a eternidade.

—————————–

¹ Mons. João Clá Dias, EP. Também para nós brilha uma estrela. In Revista Arautos do Evangelho, Ano XIV, n° 169, Janeiro 2016, p. 15.

Ou

Mons. João S. Clá Dias, EP. Solenidade da Epifania do Senhor. In: _____. O inédito sobre os Evangelhos. v. III, Coedição internacional de Città del Vaticano: Libreria Editrice Vaticana, São Paulo: Instituto Lumen Sapientiae, 2014, p. 152-153.

Faça um Comentário!