By

Em que consiste a Consagração a Jesus Cristo, pelas mãos de Maria?

Foi por intermédio da Santíssima Virgem Maria que Jesus Cristo veio ao mundo, e é também por meio dela que Ele deve reinar no mundo (Tratado, Introdução, n. 1).[1]

Assim inicia S. Luís Maria G. de Montfort o seu magistral Tratado da Verdadeira Devoção à Santíssima Virgem. Toda a finalidade do livro e toda a intenção que o grande santo mariano teve em escrevê-lo já estão anunciadas nessas ardentes palavras iniciais.

Confessando “com toda a Igreja que Maria é uma pura criatura saída das mãos de Deus” (n. 14)[2], o santo nos indica, no entanto, a necessidade que temos da devoção a Nossa Senhora, pois “por meio de Maria, Deus Pai quer que aumente sempre o número de seus filhos, até à consumação dos séculos” (n.29). Uma necessidade, portanto, colocada pelo próprio Deus.

Read More

By

Novos Consagrados! O céu está em festa!

“Senhor Jesus, quão amáveis são vossos tabernáculos! Oh! Como é feliz quem mora na casa de Maria, na qual fizestes, primeiro, a vossa morada! É nesta casa de predestinados que de Vós somente recebem socorro (n.196).

Oh! quão feliz é quem tudo deu a Maria e que nela confia em tudo e por tudo. Ele é todo de Maria e Maria é toda dele (n.179)”.

(Tratado da Verdadeira Devoção).

Com alegria verdadeira e com o espírito inteiramente voltado para as coisas do alto, animados pelo desejo intenso de tornarem-se filhos mais amados de Maria Santíssima, 65 pessoas realizaram, no último Domingo, dia 01 de Maio, a sua Consagração a Jesus Cristo, pelas mãos de Maria, segundo o método ensinado pelo grande Santo Mariano, São Luís Maria Grignion de Montfort, no seu magistral Tratado da Verdadeira Devoção à Santíssima Virgem.

_MG_6698

Read More

By

Solene Cerimônia de Consagração a Nossa Senhora e Primeira Comunhão na Comunidade dos Arautos do Evangelho de Maringá

Caríssimo leitor, estamos escrevendo para contar um pouco das graças que recebemos na Comunidade dos Arautos do Evangelho de Maringá, por ocasião da Primeira Comunhão e cerimônia de Consagração a Nossa Senhora, ocorridas neste Domingo, dia 14 de Dezembro. Tivemos a honra de ter como celebrante da Santa Missa o Revmo. Pe. Antônio Guerra, EP – Provincial da Comunidade dos Arautos deste Município.

A solene Consagração a Nossa Senhora desse dia foi o magnífico corolário daqueles que – ao longo dos meses de Outubro, Novembro e Dezembro – participaram do Curso de Mariologia dos Arautos, segundo o método do grande santo francês São Luís Maria Grignion de Montfort. Ocorreram no total dez encontros, nos quais os consagrandos puderam aprofundar seus conhecimentos a respeito da Santa Virgem Maria e  ter contato com a magnífica constelação de dons,  graças e virtudes com que foi cumulada a gloriosa Mãe de Deus. Esse estudo ocorreu concretamente com a leitura do “Tratado da verdadeira devoção à Santíssima Virgem”, escrito por este grande santo mariano.

O ato solene de Consagração a Nossa Senhora se deu após a magnífica homilia proferida pelo Remo. Pe. Guerra. Destacou nela a importância de sermos verdadeiros discípulos de Nosso Senhor Jesus Cristo, sendo inteiramente fieis ao chamado de Deus, a exemplo de Nossa Senhora que disse “Sim” ao anúncio do Arcanjo São Gabriel: “Eis aqui a escrava do Senhor, faça-me em segundo a vossa palavra!” Também fez uma menção honrosa aos rapazes que nesse dia fizeram a sua Primeira Comunhão, pois tiveram a alegria de receber Aquele que é o próprio Deus – infinito, eterno e absoluto – em suas almas.

Agradeçamos a Nossa Senhora pela belíssima Cerimônia ocorrida neste dia, e peçamos a Ela que nos faça inteiramente fiéis a essas graças. Gostaríamos também de agradecer especialmente a presença de nosso Provincial, que nos deu a oportunidade de realizar estas atividades. Salve Maria!

By

Arautos do Evangelho realizam Cerimônia de Consagração a Nossa Senhora

Grande alegria e júbilo para os Arautos do Evangelho! No terceiro Domingo de Outubro, trinta pessoas se consagraram a Jesus, pelas mãos de Maria, segundo o método do grande Santo mariano São Luís Maria Grignion de Montfort, exposto em seu “Tratado da verdadeira devoção à Santíssima Virgem”. O local escolhido para esta importante cerimônia foi na Comunidade dos Arautos de Maringá, especialmente adornada para a ocasião, sob os olhos virginais da Imagem de Nossa Senhora das Graças.

Não poderia haver mais bela ocasião para a cerimônia de Consagração a Nossa Senhora, do que a celebração da Santa Missa. Na homilia, o Revmo. Pe. Takeshi comentou a importância do espírito de oração que deve ter todo católico mediante as dificuldades da vida. Para isso, temos uma advogada infalível diante de Nosso Senhor Jesus Cristo, que nos protege e ampara em toda e qualquer aflição. Aqueles que hoje se consagram a Ela ganham, assim, um enorme benefício: possuir o caminho mais rápido, perfeito e seguro para se chegar a Jesus, como nos ensina São Luís Maria Grignion de Montfort.

Depois da Ação de Graças, houve, então, o importantíssimo e sublime momento no qual esses fiéis se tornaram escravos de amor à Santíssima Virgem, renovando suas promessas de Batismo, como nos indica o texto de Consagração composto por São Luís: Eu, N…, infiel pecador, renovo e ratifico hoje, em vossas mãos, os votos do batismo. Renuncio para sempre a Satanás, suas pompas e suas obras, e dou-me inteiramente a Jesus Cristo, Sabedoria encarnada, para segui-Lo levando minha cruz, em todos os dias de minha vida. Sentia-se no ambiente muita paz e alegria, com abundantes graças e bênçãos.

Depois deste comovente ato de entrega de seus filhos nas mãos puríssimas e santíssimas de Nossa Senhora, peçamos a Ela que os faça crescer em graça e santidade a cada dia nesta vida, para poderem um dia contemplar eternamente, no Céu, ao Deus uno e trino, Criador de todas as coisas visíveis e invisíveis. Assim seja.

Salve Maria!

By

Consagração a Nossa Senhora em Astorga: “Há muito tempo queria comer essa Páscoa convosco!”

No último dia 17 de Outubro, Quinta-feira, Nossa Senhora recebeu em suas mãos virginais mais trinta pessoas como escravos de amor, segundo o método de São Luís Maria Grignion de Montfort. O grandioso santuário dedicado a Nossa Senhora Aparecida – que possui uma das raras réplicas em madeira da imagem original e espaço para 2500 fiéis – foi o cenário ideal para este importante ato de devoção e entrega nas mãos de nossa Mãe do Céu.

Após o cortejo inicial com a Imagem de Nossa Senhora de Fátima, seguiram-se as partes normais da Missa, cantadas e tocadas pelo coro e banda dos Arautos.  O Revmo. Pe. Roberto Takeshi, EP, dirigiu aos consagrados as palavras de estímulo e cheias de unção, nas quais lembrou o dito de Nosso Senhor Jesus Cristo ao iniciar a Santa Ceia com seus amados Apóstolos:  “E disse-lhes: Desejei muito comer convosco esta páscoa” (Lc 22, 15a). Referiu-se o Sacerdote Arauto ao forte desejo e expectativa com que aquele grupo de astorguenses, e também os Arautos, esperavam este momento sublime.

Após a Comunhão e a Ação de Graças, o texto da Consagração, composto por São Luís Maria Grignion de Montfort, foi pronunciado de joelhos diante da Sagrada Imagem de Nossa Senhora de Fátima pelo Sacerdote e pelos fiéis; e com muita Fé e compenetração, assinado por cada um dos consagrados.

 

Se pudermos dizer, tanto os Arautos quanto os consagrados, que há muito tempo esperávamos esta “Páscoa”, ou seja, esta passagem, espiritual, destes fiéis devotos a escravos de amor da Santíssima Virgem, entregando a Ela “tudo o que somos e temos”, como no texto de Consagração – “Entrego-Vos e consagro-Vos, na qualidade de escravo, meu corpo e minha alma, meus bens interiores e exteriores, e até o valor de minhas obras boas passadas, presentes e futuras, deixando-Vos direito pleno e inteiro de dispor de mim e de tudo o que me pertence, sem exceção, a vosso gosto, para a maior glória de Deus, no tempo e na eternidade”. Se assim esperamos nós,  quanto mais esperou este dia nossa bondosíssima e amorosíssima Mãe, para receber, de modo especialmente forte, profundo e íntimo, em suas santas mãos, estes novos escravos de amor a Jesus!

Convidamos a todos que fazem parte da grande família dos Arautos e dos consagrados a Nossa Senhora que nos unamos e oremos uns pelos outros; especialmente por nossos “irmãos caçulas”, recém-consagrados, que estão sendo e serão sempre objeto de um carinho especial da parte de nossa boa mãe.

Que Ela nos abençoe a todos. Salve Maria!

%d blogueiros gostam disto: