By

Assista as apresentações natalinas dos Arautos de Maringá

https://www.youtube.com/channel/UCSRMdbsxFBbXYs_7O51nx4A/feed

By

APAE visita Presépio e Urutau na Comunidade dos Arautos do Evangelho

Nos dias 22, 29 e 30 de outubro, os Arautos do Evangelho tiveram a alegria de receber, em sua comunidade, os alunos da APAE e da Escola de Educação Especial Diogo Zuliani; com o intuito de assistirem à apresentação do Presépio Som, Luz e Movimento.

A APAE é uma associação brasileira, nascida no Rio de Janeiro, fundada em 1954 pela estadunidense Beatrice Bemis, cuja filha era portadora da Síndrome de Down. A Associação de natureza cultural e filantrópica tem a missão de “prestar serviços de assistência social no que se diz respeito à melhoria da qualidade de vida da pessoa portadora de necessidades especiais, conscientizando cada vez mais a sociedade”.

Visita ao Presépio: vivendo as graças do Santo Natal

Logo quando chegaram à Sede dos Arautos, percebia-se nos alunos um vivo interesse em dirigir-se logo ao local do Presépio. Entrando no auditório, ficaram muito curiosos ao constatarem que as belas cortinas vermelhas encontravam-se fechadas. Nesse momento, houve grande expectativa, pois imaginavam que veriam a ium presépio comum, estático, onde as “cortinas vermelhas fechadas” não são muito comuns. Todos se sentaram, e a emoção foi ainda maior quando ouviram os primeiros acordes da trilha sonora. Ao longo da narrativa, tiveram uma atenção única nas cenas da história do nascimento do Menino Jesus e nas peças que se movimentavam junto a um colorido jogo de luzes. Ficaram encantados!

Certamente foi para todos ocasião de muito contentamento; ficaram comovidos com a mensagem de esperança e alegria que o Presépio traz consigo. É justamente este o objetivo do Presépio Som, Luz e Movimento: evangelizar através da arte e da cultura, mostrando os fatos do nascimento do Menino Jesus de uma maneira bela e atraente. São momentos em que esquecemos os problemas e as preocupações que cercam nossas vidas, para contemplarmos a mais bela de todas as histórias, que há dois mil anos comove adultos, jovens e crianças: a história de nossa salvação.

Um interessante morador também quer ser visitado!

Urutau da Casa dos Arautos de Maringá

Após assistirem ao Presépio, seguido de um delicioso lanche, os alunos da APAE quiseram também aproveitar a visita para observar um curioso atrativo da Comunidade dos Arautos do Evangelho, um dos animais raros da riquíssima fauna brasileira. Não se trata de uma bela e esplendorosa ave, em que as asas brancas e reluzentes refletem como um maravilhoso sonho as luzes do sol, ou de um belo passarinho cujo colorido das penas deixa estupefato aquele que o observa. Pelo contrário, trata-se de uma ave muito particular e pitoresca, diríamos quase “pré-histórica”, mas que pode nos ensinar uma interessante lição.

Trata-se do Urutau, ave sui generis que também quis fazer parte da família, vivendo tranquilamente em uma aconchegante árvore do jardim. Apresenta características muito interessantes, como a camuflagem e a estabilidade. Sim, e por isso foi um pouco difícil de encontrá-lo, pois é idêntico ao tronco da árvore em que vive. Durante o dia fica estático, mas à noite sai para a caçada, emitindo um interessante canto, parecido com uma flauta doce que toca os arpejos das escalas musicais, do agudo para o grave. Mas não foi apenas agraciado com esses dotes físicos. Além disso, podemos contemplar no Urutau realidades mais elevadas.

Quando olhamos para o Urutau, percebemos que Deus o criou, sobretudo, para nos ensinar que o valor dos homens não se limita àqueles que possuem o brilho da inteligência, o vigor da saúde, ou ainda aqueles que se destacam pela força física. O Altíssimo criou a todos e a cada um com características próprias, para melhor refletirem Sua grandeza infinita. É como uma grande rosácea que, possuindo enorme variedade de cores, luzes e formas, é mais bela e perfeita que cada pedacinho de vidro em particular. Assim também todos nós: refletimos uma imagem única do Criador, insubstituível, e, portanto, devemos dar todo o valor para as pessoas em que nos dirigimos e convivemos, por mais pequeninos que sejam.

Agradecemos à APAE pela visita, que esta grande amizade continue, e que possamos nos próximos anos continuar o convívio com ainda mais entusiasmo!

By

A solução para todos os nossos problemas

Muitos são os problemas e preocupações do homem em nossos dias: contas para pagar, dívidas inesperadas, ou ainda doenças que batem à nossa porta, e tantas outras dificuldades que vivenciamos quotidianamente. Isto sem nos esquecermos das questões familiares, de trabalho, em resumo: problemas, problemas, problemas…

A tudo isto caro leitor devemos acrescer as calamidades que vemos todos os dias na imprensa. Às vezes temos a impressão de que são tantos os ventos contrários, que achamos que nossa pequenina casa ruirá para sempre. Nesses terríveis momentos de angústia e aflição, muitos questionamentos vêm ao nosso espírito.

Como pode ser isso? Acaso Deus criou o homem somente para sofrer? Não é Ele o Senhor e Criador de todas as coisas, o Deus onipotente, eterno e absoluto, capaz de salvar e de fazer perecer? Alguém poderia pensar: Como pode ser que, sendo Ele tão poderoso, deixe nosso mundo abandonado e desolado, entregue às borrascas e tempestades, sem ter um mínimo de preocupação e de interesse? A afirmação é forte. A situação é difícil. E agora, como resolver este caso? Será que Deus realmente nos abandona assim? Sem dúvida não!

Vitrais de Saint Chapelle (Paris), que ilustram o Livro de Ester

Ensina-nos a Doutrina Católica que Deus nunca nos deixa de amparar, de tal maneira que, se por acaso Ele cochilasse, quando acordasse perceberia que toda a criação teria desaparecido. Sim. E é claro que o Onipotente não cochila, mas os teólogos usam essa metáfora para nos mostrar que é Ele quem sustenta todo o universo.

Ou seja, Ele não se esquece nunca de nós, pois Jesus mesmo afirmou: “Até os cabelos da vossa cabeça estão todos contados”. (Lc 12, 7) Além disso, sabemos que, se vemos no mundo de hoje toda espécie de problemas, é porque o mundo não recorre ao seu Criador e Senhor. Ora, se passamos por problemas e dificuldades, temos um grande tesouro ao nosso alcance para implorar a misericórdia divina: a oração. Se rezarmos com fé, confiança e perseverança é certo que não nos deixará de socorrer.

A este propósito, trazemos aqui um trecho da Sagrada Escritura belíssimo. Trata-se da oração feita pela Rainha Ester diante de uma situação de perseguição e aflição que passava o povo eleito, durante a época persa. O trecho bíblico apresenta um bom exemplo de como deve ser nossa oração: cheia de confiança e certeza na vitória de Deus sobre nossos inimigos.

“Naqueles dias: Ante a morte iminente, todo o Israel gritava a Deus com todas as suas forças. A Rainha Ester, temendo o perigo de morte que se aproximava, buscou refúgio no Senhor. Abandonou as vestes suntuosas e vestiu-se com roupas de aflição e luto. Em vez de perfumes refinados, cobriu a cabeça com cinza e humilhou o seu corpo com inúmeros jejuns. Prostrou-se por terra desde a manhã até ao anoitecer, juntamente com suas servas, e disse:

‘Deus de Abrão, Deus de Isaac e Deus de Jacó, Tu és bendito. Vem em meu socorro, pois estou só e não tenho outro defensor fora de ti, Senhor, pois eu mesma me expus ao perigo. Senhor, eu ouvi, dos livros de meus antepassados, que salvaste Noé das águas do dilúvio. Senhor, eu ouvi dos livros de meus antepassados, que entregaste nove reis a Abraão com apenas trezentos e dezoito homens. Senhor, eu ouvi, dos livros de meus antepassados, que libertaste Jonas do ventre da baleia. Senhor, eu ouvi, do livro de meus antepassados, que livraste Ananias, Azarias e Misael da fornalha ardente. Senhor, eu ouvi, dos livros de meus antepassados, que arrebataste Daniel da cova dos leões. Senhor, eu ouvi, do livro de meus antepassados, que tiveste misericórdia de Ezequias, rei dos Judeus, quando, condenado a morrer, te implorou pela vida e lhe concedeste mais quinze anos de vida. Senhor, eu ouvi, dos livros de meus antepassados, que concedeste um filho a Ana que o pedia com ardente desejo. Senhor, eu ouvi, dos livros de meus antepassados, que tu libertas, Senhor, até o fim, todos os que te são caros.

Agora, pois, ajuda-me, a mim que estou sozinha e não tenho mais ninguém senão a Ti, Senhor meu Deus. Tu sabes o que tua serva detestou o leito dos incircuncisos, que não comi à mesa das abominações nem bebi o vinho de suas libações. Tu sabes que, desde a minha deportação, não tive alegria, Senhor, a não ser em ti. Tu sabes, ó Deus, porque trago esta vestimenta sobre minha cabeça, e que a abomino como um trapo imundo e não a trago nos meus dias de tranquilidade.

Vem, pois, em auxílio de minha orfandade. Põe em meus lábios um discurso atraente, quando eu estiver diante do leão, e muda o seu coração para que odeie aquele que nos ataca, para que este pereça, com todos os seus cúmplices. E livra-nos da mão de nossos inimigos. Transforma nosso luto em alegria e nossas dores em bem-estar. Aos que querem apossar-se de tua herança, ó Deus, entrega-os à ruína. Mostra-te, Senhor; ó Senhor, manifesta-te!’”1.

Nossa Senhora de Fátima – Arautos do Evangelho

É muito bonita a maneira como a Rainha relembra vários fatos ocorridos no povo judeu, em que aqueles que pediram o socorro divino foram atendidos. Ela também foi atendida por Deus, como podemos ler em seu livro na Sagrada Escritura, pois o povo eleito foi salvo da situação de aflição que sofria do terrível perseguidor Amã, o qual acabou sendo morto pelo rei Assuero. A vitória foi certa! Ester triunfou!

Tenhamos também nós essa confiança e fé. Em toda e qualquer dificuldade que atravessemos em nossa vida, recorramos ao auxílio certíssimo de Nossa Senhora, que nos socorrerá logo e nos salvará, seja qual for a situação. Tenhamos uma certeza inabalável Naquela que desde o princípio esmagou a cabeça da serpente e que, como Mãe terna e carinhosa, socorre aqueles que confiam em sua bondade.

Por Luís Plinio Santos

__________________________

1 Oração da Rainha Ester. Do Livro de Ester. In: Liturgia das Horas. v. IV. São Paulo: Vozes, Paulinas, Paulus, Editora Ave Maria, 1999, p. 362-364.

By

Dom Anuar Battisti abençoa e inaugura Presépio Som, Luz e Movimento, dos Arautos do Evangelho de Maringá

No último Sábado, dia 4 de Outubro de 2014, os Arautos do Evangelho tiveram a alegria de receber em sua casa  de Maringá a visita de Dom Anuar Battisti. Todos aguardavam ansiosos, desde os primeiros raios da manhã, o momento bendito em que poderiam conviver com o Arcebispo, como ovelhas que logo reconhecem a voz do Pastor e aguardam com expectativa a sua voz. Então, por volta das 16:30, quando seu carro transpôs os portões da Comunidade dos Arautos, todos os presentes se apinharam em volta do carro, desejosos de terem um contato com Dom Anuar.

Descendo do carro, cumprimentou a todos e a cada um com grande afeto, estima e ternura. Saudou de uma maneira especial os dois Sacerdotes Arautos que se encontravam na casa. Primeiramente, o Revmo. Padre Roberto Takeshi Kiyota, Capelão da Comunidade. Depois, o Revmo. Padre Antônio Guerra, Provincial dos Arautos do Evangelho de Maringá, o qual se encontrava também em visita à Comunidade nessa ocasião.

Em seguida, o Arcebispo quis também cumprimentar de uma maneira especial o “Dono da Casa”, o Santíssimo Sacramento. Visitou a Capela e fez alguns minutos de oração e reverência a Nosso Senhor, realmente presente em Corpo, Sangue, Alma e divindade na Eucaristia. Exemplo de devoção para nós. Sempre que tivermos a alegria de comungar e, assim, receber a visita do próprio Homem-Deus em nossa alma, tenhamos a essa devoção, transbordante de adoração.

Depois, o excelentíssimo visitante quis continuar reverenciando a Nosso Senhor Jesus Cristo, mas agora de outra maneira: contemplando-O feito Menino, inocente e belo, no Presépio. Entrou, então, no auditório climatizado, ornamentado com uma grande e bela cortina vermelha, aguardando o instante de poder abrir-se e revelar as maravilhas do nascimento do Menino Jesus. Todos se sentam. Começa uma narração… São as graças e as alegrias do Santo Natal que vem até nós.

O interessante do Presépio é que podemos assistir, cena por cena, os acontecimentos que marcaram a vinda do Messias ao mundo, como os Reis Magos, os Pastores e muitos outros fatos da vida e história do Menino Jesus que cresce em graça e santidade. Enquanto vamos ouvindo a narração, as peças vão se movimentando em harmoniosos efeitos de luz, ao som das mais belas melodias natalinas.

O Presépio Som, Luz e Movimento dos Arautos do Evangelho procura resgatar o sentido cristão do Santo Natal, muitas vezes diluído no materialismo e consumismo frenético de nossos dias. É uma maneira de evangelizar através da arte, da beleza e da cultura, atraindo crianças, jovens e adultos para as maravilhas da Fé Cristã.

Terminada a apresentação, Dom Anuar assinou o livro de presença, inaugurando assim, o Presépio Som, Luz e Movimento. Depois, deu-se início à bênção solene. Todos ouviam com devoção e atenção as palavras do Arcebispo. A partir daquele momento, o Presépio seria ocasião de graças e bênçãos para todos aqueles que contemplassem essa obra de arte, elevando, assim, suas almas até o Menino Jesus e sua Santíssima Mãe.

Agradecemos a Dom Anuar a oportunidade que tivemos de receber a bênção no Presépio, para começarmos com fé e entusiasmo este grande apostolado no período natalino.

By

Uma pergunta e uma visita: apredendo fora da sala de aula

Muitas são as atividades desenvolvidas pelos Arautos do Evangelho de Maringá: Cursos para leigos, participações litúrgicas em Paróquias, simpósios de estudos sobre a Doutrina Católica, atividades com jovens, peregrinações com a imagem de Nossa Senhora, etc., além das tão conhecidas apresentações musicais e tocatas natalinas nas comemorações de final de ano.

Todas essas atividades que o leitor conhece pessoalmente ou através das informações fornecidas neste Blog possibilitam certa ideia do que são e do que fazem os Arautos em Maringá. Porém, os pequenos fatos do dia-a-dia de uma pessoa ou de uma instituição comunicam um sabor mais forte do seu carisma e missão.

Tendo isto em vista, ocorreu-nos trazer vivências de nossa vida da comunidade, através de alguns pequenos fatos que se deram no início de ano.

Numa manhã de segunda-feira (13.01), deu-se um fato curioso durante a limpeza e arrumação da casa, costumeiramente praticada nas residências.

Estávamos reunidos com o Sacerdote Arauto e o Superior da casa, para que fossem definidas as funções a serem realizadas: limpeza dos quartos, lavagem da louça, etc. De repente, um dos Arautos recebeu uma importante incumbência: retirar os enfeites natalinos da Comunidade. Espanto geral! Alguns novatos disseram, então, ao Superior, com tom de perplexidade:

– Mas como? Serão tirados os enfeites natalinos? Como pode ser isto? E a árvore de Natal que está no refeitório: também será retirada?

–Sim, respondeu o Superior, porque as abençoadas comemorações de Natal chegaram ao seu termo com a Festa do Batismo do Senhor, ocorrida no último Domingo. A Igreja agora dá início ao Tempo Comum, em que os paramentos litúrgicos são verdes…

E começou então a explicar-lhes que no Tempo Comum a Igreja coloca mais a sua atenção sobre a finalidade do homem nesta Terra, qual seja: conhecer, amar e servir a Deus e, mediante isso, salvar a sua alma. Devemos ser santos como Deus é santo, para assim alcançarmos o Céu. É por isso que a cor dos paramentos é verde: para que possa crescer em nós, continuamente, a virtude da esperança da posse do Céu, pois o verde é a cor da esperança.

Dessa forma, levantado o tema da mudança de tempo litúrgico – já no almoço – contaram um pitoresco fato ocorrido no domingo, último dia de funcionamento do Presépio de Som, Luz e Movimento dos Arautos.

Estava a andar pelas ruas do bairro um senhor italiano. Sim, italiano mesmo, pois é proveniente da “Península Pulcritude” (A Península da beleza) da Europa e do mundo, que é a Itália, tão conhecida pelas suas belezas artísticas e culturais. Ele havia se confundido no passeio e não sabia exatamente onde se encontrava.

Apresentava certa dificuldade em informar-se, pois tampouco falava o português. Passando em frente à casa dos Arautos, no momento em que um destes estava próximo ao portão defronte à rua, foi então convidado para assistir ao Presépio, o que fez com prontidão. Gostou muito, ficou encantado. À tarde trouxe também a esposa, que é brasileira, para assistir à Missa e ao Presépio.

Encerravam-se assim, com este “fioretti” (conjuntos de fatinhos), as abençoadas apresentações do Presépio dos Arautos, que recebeu a visita de mais de 4000 pessoas, entre particulares e membros de associações e outros grupos, como catequeses, infância missionária, escolas variadas, CAPS, grupos de terceira idade, Sacerdotes e Seminaristas, etc.

Para a alegria de todos, o Presépio recebeu uma importante condecoração: 1° lugar no “Concurso Cocamar de Decoração Presépios 2013”, promovido pela Associação de Comércio e Indústria de Maringá (ACIM) e pela Cocamar.

Além disso, foi honrado com uma matéria na revista da Arquidiocese de Maringá, “Maringá Missão” (n. 176 – Dez.2013), que trouxe em sua capa uma bela foto deste Presépio. Todos estes fatos contribuíram para uma melhor divulgação desta iniciativa de evangelizar através da cultura e da arte. Aproveitamos o ensejo para agradecer a este destacado veículo de evangelização.

Aí está, caro leitor, uma das formas mais vivas de aprendizado que se dá no ambiente dos Arautos do Evangelho: a conversa animada sobre os mais diversos temas da vida, através de um enfoque religioso.

Peçamos a Nossa Senhora que após tantas graças recebidas nas festas natalinas, possamos, Arautos e leitores, iniciar a 1ª semana do Tempo Comum com as almas dispostas a crescer na união com Ela e com seu Divino Filho, ao longo deste novo ano de 2014.

Por Luís Plinio Gabriel Campanholi dos Santos

Salve Maria!

%d blogueiros gostam disto: