By

Virgem Maria: a Senhora do Rosário

Em 13 de outubro de 1917, junto à Cova da Iria na cidade de Fátima, Portugal, Nossa Senhora realiza a sexta e última aparição aos três pastorinhos.

Nessa data a Virgem Mãe de Deus faz uma revelação à Irmã Lúcia: “Eu sou a Senhora do Rosário”. E renova o pedido realizado nas aparições anteriores: “Rezem o Terço todos os dias, pela conversão dos pecadores”.

Nos colocamos a imaginar como teria sido esta magnifica experiência dos três pequenos pastores e para os cerca de setenta mil fieis que vieram de todos os lugares de Portugal, em sinal de fé e devoção à Santíssima Virgem.

Procurando difundir cada dia mais a devoção ao Santo Rosário, para que através da oração levemos alegria ao Sagrado Coração de Jesus e ao Imaculado Coração de Maria; e celebrando a Liturgia da Santa Igreja, que consagra o dia 7 de outubro à Festa de Nossa Senhora do Rosário, trazemos aos leitores do Blog um programa onde Mons. João Clá Dias, EP., narra com riqueza de detalhes e imagens os acontecimentos que ocorreram naquela manhã de outono na Cova da Iria.

Acompanhemos as explicações do Fundador dos Arautos clicando aqui.

By

Convite – Primeiro Sábado, 5 de Outubro de 2013

Neste mês de Outubro, no dia  13, comemora-se a sexta e  última aparição de Nossa Senhora em Fátima, no ano 1917. Há 96 anos, aparecendo aos três pequenos pastores, Lucia, Jacinta e Francisco, quis a Santíssima Virgem atestar a veracidade de sua bondosa manifestação aos homens, através de um esplendoroso milagre. O Monsenhor João Clá Dias assim narra esta sexta aparição:

Ia avançando o Outono. A manhã estava fria. Uma chuva persistente e abundante tinha transformado a Cova da Iria num imenso lamaçal, e ensopava até aos ossos a multidão de 50 a 70 mil peregrinos que ali havia acorrido de todos os cantos de Portugal. Por volta das onze e meia, aquele mar de gente abriu passagem para os três videntes que se aproximavam, vestidos com seus trajes de missa. É Irmã Lúcia quem nos relata o que se seguiu:

“Chegados á Cova da Iria, junta da carrasqueira, levada por um movimento interior, pedi ao povo que fechasse os guarda-chuvas, para rezarmos o terço. Pouco depois, vimos o reflexo da luz e, em seguida, Nossa Senhora sobre a carrasqueira.

– Que é que Vossemecê me quer?

– Quero dizer-te que façam aqui uma capela minha honra, que sou a Senhora do Rosário, que continuem sempre a rezar o terço todos os dias. A guerra vai acabar e os militares voltarão em breve para as suas casas.

-Eu tinha muitas coisas para Lhe pedir. Se curava uns doentes e se convertia uns pecadores, etc…

Lúcia, Francisco e Jacinta
fotografados em Outubro de 1917,
alguns dias antes da última aparição

– Uns sim, outros não. É preciso que se emendem, que peçam perdão dos seus pecados.

E tomando um aspecto triste [Nossa Senhora acrescentou]:

Não ofendam mais a Deus. Nosso Senhor já está muito ofendido.

E, abrindo as mãos, fê-las refletir no sol, e enquanto Se elevava, continuava o reflexo da sua própria luz a projetar-se no sol.1

Narra Monsenhor João Clá como se deu o milagre do Sol:

Chovera durante toda a aparição. Lúcia, ao fim do seu colóquio com Nossa Senhora, gritara para o povo: “Olhem para o sol!” Naquele momento, rasgaram-se as nuvens, e o sol apareceu como um imenso disco de prata. Apesar do seu intenso brilho, pôde ser olhado diretamente sem que ferisse a vista. As pessoas contemplavam-no absortas quando, de súbito, o astro se pôs a “bailar”. Girava rapidamente como uma gigantesca roda de fogo.2

O sol girou espantosamente, espargindo chamas vermelhas, tremendo e fazendo ziguezagues; pareceu precipitar-se ameaçadoramente sobre a aterrorizada multidão, que temeu ser consumida pelo fogo. Depois, calmamente, voltou a seu ciclo normal. Um milagre que foi atestado, inclusive, pela imprensa da época e por milhares e milhares de testemunhas.

Assim se manifesta Nossa Senhora, pedindo insistentemente a reza do terço e a conversão dos pecadores. A Mãe quer salvar os seus filhos e se esforça para convencê-los da urgência da conversão.

Por isso, neste mês de Outubro, Mês das Missões e Mês do Rosário, temos inúmeros motivos para buscarmos desagravar o Imaculado Coração de Maria.

Para isso, estarão os Arautos do Evangelho de Maringá, juntamente com centenas de pessoas, realizando a Devoção da Comunhão Reparadora dos 5 Primeiros Sábados.

Pelo 3º. Mês consecutivo, essa devoção será realizada, em Maringá, na Paróquia São Miguel Arcanjo.

Confira a Programação:

COMUNHÃO REPARADORA DOS 5 PRIMEIROS SÁBADOS

Data: Sábado, 05 de Outubro de 2013.

Local: Paróquia São Miguel Arcanjo – Maringá – PR

Endereço: Praça das Américas, S/N – Bairro Aeroporto

PROGRAMA:

Confissões: A partir das 17h

Meditação e Terço: A partir das 18h

Santa Missa: Às 19h

TODOS ESTÃO CONVIDADOS!


1Monsenhor João Clá Dias. Fátima, o meu Imaculado Coração triunfará. 2ª. Ed. São Paulo: ACNSF, 2007. p. 32
2Idem, p. 33