By

Uma pergunta e uma visita: apredendo fora da sala de aula

Muitas são as atividades desenvolvidas pelos Arautos do Evangelho de Maringá: Cursos para leigos, participações litúrgicas em Paróquias, simpósios de estudos sobre a Doutrina Católica, atividades com jovens, peregrinações com a imagem de Nossa Senhora, etc., além das tão conhecidas apresentações musicais e tocatas natalinas nas comemorações de final de ano.

Todas essas atividades que o leitor conhece pessoalmente ou através das informações fornecidas neste Blog possibilitam certa ideia do que são e do que fazem os Arautos em Maringá. Porém, os pequenos fatos do dia-a-dia de uma pessoa ou de uma instituição comunicam um sabor mais forte do seu carisma e missão.

Tendo isto em vista, ocorreu-nos trazer vivências de nossa vida da comunidade, através de alguns pequenos fatos que se deram no início de ano.

Numa manhã de segunda-feira (13.01), deu-se um fato curioso durante a limpeza e arrumação da casa, costumeiramente praticada nas residências.

Estávamos reunidos com o Sacerdote Arauto e o Superior da casa, para que fossem definidas as funções a serem realizadas: limpeza dos quartos, lavagem da louça, etc. De repente, um dos Arautos recebeu uma importante incumbência: retirar os enfeites natalinos da Comunidade. Espanto geral! Alguns novatos disseram, então, ao Superior, com tom de perplexidade:

– Mas como? Serão tirados os enfeites natalinos? Como pode ser isto? E a árvore de Natal que está no refeitório: também será retirada?

–Sim, respondeu o Superior, porque as abençoadas comemorações de Natal chegaram ao seu termo com a Festa do Batismo do Senhor, ocorrida no último Domingo. A Igreja agora dá início ao Tempo Comum, em que os paramentos litúrgicos são verdes…

E começou então a explicar-lhes que no Tempo Comum a Igreja coloca mais a sua atenção sobre a finalidade do homem nesta Terra, qual seja: conhecer, amar e servir a Deus e, mediante isso, salvar a sua alma. Devemos ser santos como Deus é santo, para assim alcançarmos o Céu. É por isso que a cor dos paramentos é verde: para que possa crescer em nós, continuamente, a virtude da esperança da posse do Céu, pois o verde é a cor da esperança.

Dessa forma, levantado o tema da mudança de tempo litúrgico – já no almoço – contaram um pitoresco fato ocorrido no domingo, último dia de funcionamento do Presépio de Som, Luz e Movimento dos Arautos.

Estava a andar pelas ruas do bairro um senhor italiano. Sim, italiano mesmo, pois é proveniente da “Península Pulcritude” (A Península da beleza) da Europa e do mundo, que é a Itália, tão conhecida pelas suas belezas artísticas e culturais. Ele havia se confundido no passeio e não sabia exatamente onde se encontrava.

Apresentava certa dificuldade em informar-se, pois tampouco falava o português. Passando em frente à casa dos Arautos, no momento em que um destes estava próximo ao portão defronte à rua, foi então convidado para assistir ao Presépio, o que fez com prontidão. Gostou muito, ficou encantado. À tarde trouxe também a esposa, que é brasileira, para assistir à Missa e ao Presépio.

Encerravam-se assim, com este “fioretti” (conjuntos de fatinhos), as abençoadas apresentações do Presépio dos Arautos, que recebeu a visita de mais de 4000 pessoas, entre particulares e membros de associações e outros grupos, como catequeses, infância missionária, escolas variadas, CAPS, grupos de terceira idade, Sacerdotes e Seminaristas, etc.

Para a alegria de todos, o Presépio recebeu uma importante condecoração: 1° lugar no “Concurso Cocamar de Decoração Presépios 2013”, promovido pela Associação de Comércio e Indústria de Maringá (ACIM) e pela Cocamar.

Além disso, foi honrado com uma matéria na revista da Arquidiocese de Maringá, “Maringá Missão” (n. 176 – Dez.2013), que trouxe em sua capa uma bela foto deste Presépio. Todos estes fatos contribuíram para uma melhor divulgação desta iniciativa de evangelizar através da cultura e da arte. Aproveitamos o ensejo para agradecer a este destacado veículo de evangelização.

Aí está, caro leitor, uma das formas mais vivas de aprendizado que se dá no ambiente dos Arautos do Evangelho: a conversa animada sobre os mais diversos temas da vida, através de um enfoque religioso.

Peçamos a Nossa Senhora que após tantas graças recebidas nas festas natalinas, possamos, Arautos e leitores, iniciar a 1ª semana do Tempo Comum com as almas dispostas a crescer na união com Ela e com seu Divino Filho, ao longo deste novo ano de 2014.

Por Luís Plinio Gabriel Campanholi dos Santos

Salve Maria!

By

Como foi o Carnaval… na Sede dos Arautos?

Podemos responder, considerando as palavras muito ilustrativas do Mons. João Clá, EP, ao comentar a passagem do Evangelho de São Marcos (6, 30-34):

“Ele disse-lhes: ‘Vinde à parte, a um lugar solitário, e descansai um pouco’. Deus mais nos visita no recolhimento do que nas atividades externas. Em geral, nossa vida sobrenatural dá passos mais firmes e decididos no silêncio do que em meio às ações”. (1)

Foi isto o que puderam experimentar os que participaram do Retiro espiritual na Casa dos Arautos, pregado pelo Pe. Julio Ubellode, EP, durante o Carnaval.

Missa de Quarta-feira de Cinzas

Entre outras atividades, os Arautos com seu coral realizaram a animação litúrgica na Missa de Quarta-feira de Cinzas, na Paróquia Menino Jesus de Praga e São Francisco Xavier, às 15 horas, celebrada pelo Padre Roberto Takeshi, EP. Com as bênçãos de Nosso Senhor, a igreja contava com a presença devota cerca de 400 fiéis.

 

Confissões

Duas filas de fiéis, durante toda a Eucaristia – e até antes e depois da celebração – acresciam-se junto aos Sacerdotes que ministravam o Sacramento da Penitência. Realmente, o inicio da Quaresma foi carregado de uma revoada de anjos!

(1) Fonte: Agenda 2011 – 10º Aniversário da Aprovação Pontifícia – (Frases do dia: 5/2/2011).

By

Chuva de graças!

O Retiro que se realiza durante estes dias de Carnaval na Casa dos Arautos de Maringá tem sido cumulado das melhores e abundantes graças concedidas por Nosso Senhor, a rogos de Sua Mãe Santíssima. Realmente uma chuva de graças!

A nota tônica tem sido de muito entusiasmo, o que se pode verificar tanto na participação

Participantes do Retiro, pregado pelo Pe. Julio Cameron Francisco Ubbelohde, EP.

atenta e devota nas meditações, quanto na alegria expressa nas fisionomias dos retirantes.

Aliás, neste domingo em especial, a contemplação das verdades da fé vieram de encontro com as leituras da Santa Missa: a graça de Deus, o perdão e a misericórdia, a confiança total em Nosso Senhor e a nossa redenção.

Não tenhas medo

Nosso Senhor continua a nos dizer: “Não tenhas medo” (Lc 5,10). Que Nossa Senhora obtenha os melhores frutos para este Retiro e a todos nós: a confiança e a fidelidade íntegra, total e inabalável no seguimento de Seu Divino Filho. Com Isaias, saibamos responder: “Aqui estou, envia-me” (6, 8).