By

O fiat de Maria e a prece de seu Filho Jesus

Quando tomamos nossas primeiras lições de Catecismo e adentramos no conhecimento de Jesus Cristo, deparamo-nos com uma questão muito bonita: Jesus Cristo sofreu e morreu enquanto Deus ou enquanto homem?

Sg. Coração de Jesus
Igreja de São Basílio – Toronto, Canadá

Não sem certa estranheza – sobretudo na idade infanto-juvenil, em que se dá a iniciação cristã – causa-nos certa curiosidade a pergunta. E a resposta, objetiva e cristalina, preceituada pelo Catecismo desabrocha, fazendo luz e aumentando nossa Fé: Jesus Cristo sofreu e morreu enquanto homem, porque não poderia sofrer nem morrer enquanto Deus. (1)

Esta consideração nos vem a propósito do Evangelho de São Lucas, do XVII Domingo do Tempo Comum, quando contemplamos Jesus “a fazer oração em certo lugar” e ensinando os discípulos a rezar o Pai Nosso (Lc 1, 1-13).

Consideremos bem: Quem está a fazer oração? Sim, Jesus. Mas quem é Jesus? Jesus é o Filho de Deus, a Segunda Pessoa da Santíssima Trindade feito Homem. Ora, aqui também poderíamos indagar: Jesus rezou enquanto Deus ou enquanto homem? (2)

Com base no Santo Patriarca Hesíquio de Jerusalém, Mons. João Clá nos traz uma bela explicação à questão levantada: “Era de dentro de sua natureza humana que Jesus elevava sua mente a Deus e exprimia os desejos de seu Sagrado Coração, rogando fossem eles concretizados. Ou seja, nunca Jesus rezou enquanto Deus – e nem teria sentido, aliás, Ele assim proceder – mas sempre o fez como homem, pois sabia que certas graças não seriam jamais obtidas senão por meio de seus pedidos, por isso ‘Ele andava retirado pelas solidões e a orar’ (Lc 5, 16)”. (3)

No entanto, o esplendoroso momento de Jesus orando ao Pai, somente foi possível pelo fiat de Maria Santíssima. Graças ao sim em resposta ao Arcanjo São Gabriel, o Verbo se fez carne, e em tudo igual aos homens, exceto no pecado (Hb 4, 15). Eis aí duas maravilhas: o fiat de Maria e a prece de seu Filho Jesus.

Por Adilson Costa da Costa

_____________________________________

(1) Segundo Catecismo da Doutrina Cristã. 117ª ed. Petrópolis: Vozes, 2007.

(2) Para saber mais acesse o vídeo: http://www.arautos.org/tv/interna.html?id=2839&title=Jesus+morreu+como+Deus+ou+como+homem%3F

(3) Mons. João S. Clá Dias, EP. O inédito sobre os Evangelhos. v. VI, Coedição internacional de Città del Vaticano: Libreria Editrice Vaticana e São Paulo: Instituto Lumen Sapientiae, 2012, p. 240-241.

By

Revista Arautos em foco…

“A Revista Arautos do Evangelho nasceu em 2002, um ano após os Arautos receberem do Papa a aprovação Pontifícia.

Com o intuito de levar aos lares do mundo inteiro a Palavra de Deus, as principais notícias da Igreja e um conteúdo completo baseado nos ensinamentos da Igreja Católica, a Revista Arautos traz em suas páginas artigos para todas as idades e visa, sobretudo, a formação católica da família.

A Revista Arautos é instrumento de evangelização e expressa o carisma dos Arautos do Evangelho.”

 (www.revistacatolica.com.br)

                           

                            Resenha Mensal da

                    Revista Arautos do Evangelho

                             N. 137  – Maio 2013

 

Afresco de Nossa Senhora do Bom Conselho, que se venera em Genazzano (Itália)

Apresentação da Revista

            Para atender aos seus objetivos editoriais (expostos acima) e tornar a sua leitura mais prazerosa e eficaz, a Revista Arautos do Evangelho é dividida em diferentes seções. As fixas são muito apreciadas pelos leitores e muitos as leem logo ao receber a Revista. São elas: Editorial, A Voz do Papa, os Comentários ao Evangelho, artigo mensal de Mons. João Clá Dias, Fundador dos Arautos; Arautos no Mundo e Arautos no Brasil¸ que trazem um resumo ilustrado das principais atividades dos Arautos em todo o mundo e no Brasil; também é fixa a seção Aconteceu na Igreja e no Mundo¸ com fatos de atualidade católica; uma parte da Revista que é muito apreciada é História para Crianças…ou adultos cheios de Fé?, que conta belas histórias, capazes de nos encher de entusiasmo; muito apreciada é também a parte dedicada aos Santos de Cada Dia, que traz um pequeno resumo da vida dos santos.

            As seções variáveis abordam, de maneira elegante e atrativa a História da Igreja, vários aspectos da Doutrina Católica, a devoção a Nossa Senhora, vidas de santos, Liturgia, além de inúmeros artigos sobre assuntos diversos, escritos com competência e zelo pelos inúmeros acadêmicos de Filosofia e Teologia e mestres e doutores (sacerdotes e leigos) que fazem parte das fileiras dos Arautos do Evangelho.

            Em uma elegante apresentação gráfica e rico conteúdo doutrinário, suas edições em quatro línguas atingem a tiragem mensal de 1 milhão de exemplares, circulando em dezenas de países, como demonstram as cartas recebidas na seção Escrevem os Leitores. Realmente, ela transmite o carisma dos Arautos!

            Para proveito de nossos leitores, apresentaremos a partir deste mês uma Resenha da Revista,  objetivando dar uma rápida pincelada nos assuntos que são ali tratados, e sobretudo incentivando a todos que procurem ler a revista inteira, pois é uma oportunidade única de conhecer, com qualidade os assuntos da nossa Religião. Revista Arautos: leitura agradável, formativa e com qualidade! Uma companhia indispensável para as famílias!

            A foto de capa da Revista do mês de maio é dedicada a Nossa Senhora do Bom Conselho, cujo afresco é venerado na pequena cidade de Genazzano, na Itália. Este número da revista aborda o insuperável amor maternal de Nossa Senhora por nós. O Editorial mostra como a lei da misericórdia é inaugurada pelo Divino Redentor, o qual “mostra-Se Deus não só amigo, mas Irmão dos homens, que Se encarna e morre na Cruz para nossa salvação”, o que seria impensável na Antiguidade. O “requinte” desse plano de amor, porém, é o fato de Nosso Senhor ter Se encarnado no seio puríssimo de Maria, tendo “assim a humanidade o conhecimento não apenas do Deus que é amor, mas também da Mãe d’Ele e nossa, a personificação da bondade, da doçura e do perdão”.

            A Voz do Papa deste mês traz, entre outros, excerto da homília proferida pelo Papa Francisco na Missa Crismal, de 28/03/2013. Dirigindo-se aos Sacerdotes, o Papa ensina que eles são “mediadores entre Deus e os homens; que a unção sacerdotal é para benefício do povo” e, a partir dessa verdade, o sacerdote deve “intuir e sentir as necessidades dos fiéis”; finalmente, que o sacerdote não deve se tornar apenas um “intermediário, um gestor”, mas deve ser “pastor no meio do seu rebanho e pescadores de homens”.

            O Comentário do Evangelho deste mês trata da magnífica Sequência de Pentecostes: “Na variedade dos povos, a unidade da Igreja, que ao longo dos séculos inspira o heroísmo da virtude, surpreende o cético espectador… Ignora ele qual o fator determinante desta maravilhosa coesão”. E esse fator de coesão é o Divino Espírito Santo: “Se o Espírito Santo se retirasse da Igreja, ela ficaria inerte como um cadáver”

            A Revista deste mês de Maio apresenta ainda vários outros interessantes artigos: O Diác. Dartagnan Alves de Oliveira Souza, EP, escreve sobre Os mártires do Império Romano: Testemunho selado pelo sangueO artigo mostra como “aqueles mártires tinham no fundo de suas almas a certeza de que Cristo, de alguma forma, triunfaria sobre os seus perseguidores. Machados, navalhas, fogo, torturas e feras revelaram-se insuficientes para vencer a resistência dos seguidores de Cristo”. Com o seu testemunho, os mártires construíram “pedra por pedra, o edifício admirável da Igreja”.

            Em outro artigo vemos que“quanto mais observamos a natureza, mais se fortalece nossa convicção de nos encontrarmos diante de uma obra divina (…) Exemplo revelador da insondável ordem posta por Deus no universo é o mundo das abelhas”. Em A perfeição da obra divina, o Arauto Jonas Venero explica como as estruturas usadas pelas abelhas em seus favos, bem como a exatidão dos seus alvéolos serve de inspiração para grandes avanços científicos, desde a maneira como a NASA constrói naves espaciais até à linguagem usada na Informática. A “chamada ‘teoria das abelhas’ continua inspirando artigos científicos em temas tão complexos como a distribuição de tarefas em entornos de computação em nuvem”. Realmente, artigo muito interessante e atual.

            Quem conhece a história de São Pascoal Bailão? Pois bem: a Irmã Clara Morazzani Arráiz, EP conta a bela história desse humilde pastor, modelo de mansidão, que teve a graça de entrar para a Ordem dos Frades Menores (Franciscanos), num convite feito diretamente a ele, numa aparição, por S. Francisco de Assis e Santa Clara. “Sua vida transcorreu na paz do claustro e na mendicância, de maneira apagada, humilde, mas valente, na busca contínua e exclusiva da glória de Deus; e lhe estava reservada grande glória e renome pelo mundo inteiro”. Um grande Santo, exemplo para nossos dias!

            A Irmã Carmela Werner Ferreira, EP, em seu artigo Exímio modelo de bondade, apresenta o lançamento do mais recente livro de Monsenhor João Scognamiglio Clá Dias: Dona Lucilia, cujo exemplo de vida costuma ser de grande proveito para as almas. Com a finalidade de divulgar a sua vida, acaba de ser publicada a biografia de Dona Lucilia, profusamente ilustrada por fotografias que falam por si, tal a expressividade de sua fisionomia transbordante de doçura e de benquerença incondicional. Como exemplo de mãe católica, nunca tendo atuado fora do lar, poderá servir de inspiração a incontáveis pessoas em nossos dias, cujas vidas também se desenrolam no seio da família. Os inúmeros fatos narrados revelam como é possível executar as tarefas cotidianas com muita elevação de alma, reportando tudo ao sobrenatural e a Deus Nosso Senhor. O livro de Monsenhor João é editado pela Libreria Editrice Vaticana.

            Há, ainda, notícias variadas, artigos sobre a devoção a Nossa Senhora, assuntos que enriquecem sobremaneira este número da Revista do mês de Maio de 2013. Porém, por brevidade, não será possível abordar a todos. Portanto, novamente, convidamos nosso caro leitor para saborear a Revista Arautos do Evangelho. Se desejar fazer a sua assinatura, pode contatar a Sede Regional dos Arautos, em Maringá, através do telefone (44) 3028-6596, ou através do BLOG e daremos as informações detalhadas. Numa época em que, infelizmente, muitas famílias têm muitos problemas e dificuldades para enfrentar em seu dia a dia, entre elas o diálogo, a Revista Arautos do Evangelho quer contribuir para essa evangelização dentro da família: Que tal ler a Revista numa reunião de família, entre amigos, em seu grupo, em sua Comunidade? Todos, certamente, sairão enriquecidos!

Até o próximo mês.

João Celso