By

Frase da Semana – São Judas Tadeu

 “Mestre, por que razão hás de manifestar-te a nós e não ao mundo?”

São Judas Tadeu, Apóstolo (Jo 14,22)

Uma pergunta realizada no tempo oportuno e que demonstra grande amor pela humanidade. A vocação de um Apóstolo.

Quem de nós poderá mensurar as inúmeras graças que por intercessão de Nossa Senhora, tem recebido de Deus ao longo da vida? A começar pelo Batismo, quando recebemos a Graça Santificante, quantas tem sido as incontáveis graças que recebemos de Deus?

São Judas Tadeu – Catedral Marie Reine du Monde – Montreal, Canadá

A Frase da Semana homenageia o grande Apóstolo São Judas Tadeu, primo-irmão de Nosso Senhor Jesus Cristo*. Narra o Evangelho de São João: Durante a última ceia, na despedida do Mestre, com quem havia convivido durante muitos anos, Judas Tadeu lança uma pergunta que tem enorme relação com a nossa salvação e também com todas as graças que temos recebido ao longo da vida. Esta pergunta – caridosa, sincera, fraterna, permite ao Divino Mestre dar uma resposta extraordinária,  que marcará a vida de todos os verdadeiros seguidores de Cristo: o habitar de Deus no meio de nós. “Respondeu-lhe Jesus: Se alguém me ama, guardará a minha palavra e meu Pai o amará, e nós viremos a ele e nele faremos a nossa morada” (Jo 14, 23).

Este grande Santo, que é considerado o protetor dos desesperados e aflitos, o Santo das causas sem solução e das causas perdidas – já na última Ceia, ainda antes dos acontecimentos intensos da Paixão, assume este chamado –, uma vocação que caracterizará São Judas ao longo de toda a História da Igreja, ao fazer esta amorosa pergunta a Nosso Senhor Jesus Cristo: “por que não [também] ao mundo?” Soa a pergunta como uma grande intercessão. E é por esta intercessão que, ao esforçarmo-nos para guardar a Palavra, mesmo sem merecimento de nossa parte, poderemos  usufruir desta graça: sermos a morada da Santíssima Trindade.

São Judas Tadeu – grande santo, grande apóstolo, preocupado conosco e com a nossa salvação, hoje e sempre, rogai por nós!

Conheça mais sobre a vida de São Judas – cuja festa a Igreja comemora no dia 28 de Outubro, visitando o site dos Arautos do Evangelho:

http://www.arautos.org/especial/20702/Sao-Judas-Tadeu.html

Salve Maria!

___________________________________

* São Judas Tadeu, nasceu em Caná da Galiléia, Palestina, filho de Alfeu (ou Cleofas) e Maria Cleofas. Seu pai, Alfeu, era irmão deSão José e sua mãe prima-irmã de Maria Santíssima. Portanto, São Judas Tadeu era primo-irmão de Jesus, tanto pela parte do pai como da mãe. Confira: http://www.arautos.org/especial/20702/Sao-Judas-Tadeu.html

By

Frase da Semana – Santo Antonio Maria Claret

De que vale o homem ganhar o mundo, se vem a perder a alma? Esta sentença me causou uma profunda impressão… foi para mim uma flecha que me feriu o coração… (1)

Em 24 de outubro a Liturgia comemora a festa de Santo Antônio Maria Claret (1807-1870), Bispo e Confessor.

Santo Antonio Maria Claret

A Frase da Semana traz à reflexão de seus leitores um pensamento deste grande Santo, baseado no Evangelho de São Mateus (16,26) que se tornou um dos pilares de sua vida espiritual. De fato, após uma infância muito piedosa, aos poucos, durante sua adolescência e juventude, Antonio – ignorando o chamado divino – entregou-se de corpo e alma ao trabalho, envolvendo-se nos negócios da família.

Comenta Monsenhor João Clá, Fundador dos Arautos (2):

Ainda jovem, morando em Barcelona, sentiu apelos divinos para algo de mais elevado, embora indefinido, pois não pensava na vocação sacerdotal. Mas, naquela cidade, envolveu-se com questões de tecelagem e se enfronhou nos assuntos práticos desse negócio, começando a esquecer o fervor da sua piedade dos tempos de menino. Passou alguns anos absorto no cuidado de máquinas, teares e coisas semelhantes.

Praticava ainda a religião, mas, nesse período de sua vida, pode-se dizer que Santo Antônio Maria Claret tendia a tibieza. Continuava a frequentar a igreja, assistia à Missa aos domingos, comungava algumas vezes por ano e também recitava o Rosário. Mas, fora do cumprimento estrito dessas práticas de piedade, só tinha pensamentos para o seu trabalho na indústria têxtil.

Foi a partir de um susto – que tomou no mar em companhia de alguns amigos, que Antonio Maria Claret abandonou radicalmente a vida de tibieza que levava. Numa palavra: conversão! Mudou de rumo; tornou-se modelo de santo, digno de ser imitado por todos os católicos, em todos os tempos. Foi um grande pregador, Bispo, Arcebispo de Cuba, confessor da Rainha de Espanha, Fundador de Ordem Religiosa. A fidelidade à conversão foi sua companhia por toda a vida.

O mesmo ocorre conosco, neste tumultuado e materialista século XXI! Muitas vezes, deixamos de lado o sopro da Graça de Deus em nossas almas – o contínuo convite à conversão que Deus nos faz – e vamos tocando a vida, dedicando-nos exclusivamente às coisas materiais e postergando, adiando a mudança de vida que nossa consciência nos acusa ser necessária.

Santo Antonio Maria Claret foi um grande devoto de Nossa Senhora e do Santo Rosário! Peçamos a ele que interceda por nós junto à Mãe de Deus e nos obtenha a verdadeira conversão – hoje!

Salve Maria!


(1) Portal Claretiano do Brasil. Frases de [Santo Antonio Maria] Claret. Disponível em: http://www.claretianos.com.br/claret/frases/

(2) Monsenhor João Clá Dias, EP. Os santos comentados. Seção Especial. Portal Arautos do Evangelho. http://www.arautos.org/especial/41510/Santo-Antonio-Maria-Claret

By

Consagração a Jesus Cristo, pelas mãos de Maria!

(Conforme o método de S. Luís Maria G. de Montfort)

“Foi por intermédio da Santíssima Virgem Maria que Jesus Cristo veio ao mundo, e é também por meio d´Ela que Ele deve reinar no mundo.” (1)

Nossa Senhora de Fátima

A afirmação acima, carregada de significados, inicia a Introdução do célebre Tratado da Verdadeira Devoção à Santíssima Virgem, escrito pelo “homem da Providência, missionário do Espírito Santo e de Maria Santíssima” (2), São Luís Maria Grignion de Montfort.

Toda a obra é escrita para demonstrar que Nossa Senhora é o perfeito caminho para a edificação do Reino de Deus em nossas almas e no mundo inteiro, já que foi por meio d`Ela que Nosso Senhor Jesus Cristo nos trouxe a Salvação. Por isso, diz S. Luís, no Tratado:

“Meu coração ditou tudo o que acabo de escrever com especial alegria, para demonstrar que Maria Santíssima tem sido, até aqui, desconhecida, e que é essa uma das razões por que Jesus Cristo não é conhecido como deve ser.” (3)

Para que esta Mãe seja ainda mais conhecida e amada por seus filhos, os Arautos do Evangelho de Maringá promovem as reuniões de formação para pessoas interessadas em fazer a Consagração a Jesus Cristo, pelas mãos de Maria, segundo o método do Tratado.

A próxima turma terá início neste Domingo, 03 de Novembro. Veja os detalhes abaixo. Faça a sua inscrição. Divulgue para seus amigos!

Curso Preparatório à Consagração:

Início: Domingo, 03/11/2013

Horário: das 15h30 às 16h30

Local: Comunidade dos Arautos do Evangelho de Maringá

Endereço: R. Jair do Couto Costa, 15 – Zona 20

Consagração: Domingo, 15/12/2013

Maiores informações e Inscrições gratuitas através deste Blog ou pelo e-mail:[email protected]

ou pelos Fones: 3028 6596, 9972 4009 (Tim), ou 9132-1962 (Vivo)


(1) MONTFORT, São Luís Maria Grignion de. Tratado da Verdadeira Devoção à Santíssima Virgem. 19 ed. Petrópolis: Vozes, 1992. Pág. 17

(2) Idem. Pág. 9.

(3) Idem, p. 23

By

Curso de Férias 2013

 

        Se fizéssemos uma pesquisa a respeito das palavras mais faladas na atualidade, com certeza uma delas seria: corre-corre! E errariam os que, porventura, afirmassem que tal vocábulo sai apenas dos lábios de pessoas adultas.

          E é bem isso! Os jovens também vivem numa rotina de estudos, necessitando, assim, de um merecido repouso: as férias! Tal verdade nos ensina o próprio Deus, nas palavras do Gênesis, quiçá em um dos hinos da Liturgia das Horas: “Depois de criar o universo, decidistes entrar em repouso, ensinando aos que cansam na luta, que o descanso é também dom precioso”. (1)

     Entretanto, repouso, descanso ou férias nunca foram sinônimos de ócio! Como poderíamos imaginar o Divino Criador, num estado de inércia, após ter concluído suas maravilhas? Muito pelo contrário, “Deus contemplou toda a Sua obra, e viu que tudo era muito bom” (Ge 1, 31). Finalizada, então, a criação, passou Ele a admirá-la e encantar-Se com o universo insondavelmente perfeito, harmônico e hierárquico que saíra de suas mãos.

      É verdade. As férias nos proporcionam um tempo valioso que não deve ser desperdiçado. E como podemos deduzir do Eclesiastes (2), há tempo para tudo, mas não para “perder tempo”. Por isso, é de bom alvitre que este período de pausa das atividades escolares seja aproveitado para enriquecer nossa formação religiosa, acadêmica e cultural. Esses são os objetivos dos Arautos do Evangelho ao promoverem o conhecido “Curso de Férias”.

          Realizado no Seminário Maior desta entidade, em Caieiras (SP), este encontro está se desenvolvendo ao longo desta semana (de 15 a 19 de julho), com um imprescindível tema: a Oração. Com a participação de centenas de jovens do Brasil e do mundo, as exposições visam aprimorar a formação dos presentes nos aspectos acima mencionados.

         Tal qual o exemplo do Altíssimo e Onipotente Senhor, querem esses jovens, pela via da admiração, conhecer e contemplar as maravilhas da Fé, da Doutrina Católica, da história dos Santos e dos princípios eternos que devem reger toda a nossa existência.

        Peçamos à Santíssima Virgem, em união com seu Divino Filho, que os cumulem das mais abundantes graças e bênçãos, para participarem com ânimo e entusiasmo desses benditos dias.

         Para maiores informações a respeito das atividades do Curso de Férias, acompanhe as postagens no link: https://thabor.arautos.org

___________________

(1) Liturgia das Horas. v. III. São Paulo: Vozes, 2000, p. 1027.

(2) Eclesiastes 3, 1-8.

By

Os mártires e os lobos

A natureza, realmente, é um livro extraordinário repleto de ensinamentos e mistérios, próprios à reflexão de verdades e princípios indicadores de nosso relacionamento com Deus e o próximo. E isto de tal forma, que o próprio Nosso Senhor Jesus Cristo, Criador desta natureza e Divino Pedagogo, dela fez uso para anunciar a Boa Nova, nas mais variadas situações de sua pregação.

Esta consideração nos vem à mente, ao adentrarmos neste mês de julho no qual celebramos a Jornada Mundial da Juventude no Brasil, em que temos a intenção de que ela “anime a todos os jovens cristãos a se tornarem discípulos e missionários do Evangelho” (1).

Eis que vos envio

Com efeito, contemplemos a narração do evangelista São Lucas, no capítulo 10, e deitemos a atenção para um aspecto de esplêndida riqueza, fundamental e indispensável, para todos aqueles que querem ser discípulos e missionários, ou por outra, porque discípulos (cristãos), são missionários do Evangelho. Disse Jesus, ao escolher 72 discípulos para anunciarem o Reino de Deus: “Eis que vos envio como cordeiros para o meio de lobos” (Lc 10, 3).

Em um primeiro momento, poderia causar-nos certa estranheza a comparação que o Divino Mestre utiliza para explicar aos discípulos como e a quem os enviaria. Imagine o leitor: o que pode um inocente cordeiro contra um lobo voraz? Qual é a natural e extintiva “conduta” do lobo face ao cordeiro? Antes mesmo das mais elementares lições de biologia ou zoologia da educação formal, salta-nos aos olhos o que até uma criança já adquiri como conhecimento a respeito do destino de um cordeiro nas garras e dentes de um lobo… E como fica a aplicação de tal metáfora? Ensina Ele que o cordeiro deve se achegar do lobo, para ser por este devorado? Sejamos mais ousados em nosso questionamento: Jesus se enganou?

Categoricamente: não! Mas então, como explicar tal metáfora?

Sim, o discípulo e missionário deve ser como um cordeiro. E quais são as qualidades simbolizadas e evocadas pelo cordeiro: mansidão, inocência, humildade. Assim deve ser o apóstolo de Jesus, fiel e pacífico, cheio de bondade e amante da pureza dos costumes.

E quanto ao lobo, símbolo de quais atributos é este animal selvagem? Maldade, astúcia e obstinação. Eis as características infelizmente presentes neste nosso início de Século, onde a impiedade, a falta de fé, hostilidade e perseguição contra a verdade e o bem vão ganhando espaços crescentes.

Qual deve então ser a atitude do discípulo-missionário em sua missão evangelizadora, na qual encontrará situações difíceis articuladas pela malícia do mundo? Será ele uma fatal vítima, à maneira do cordeiro em meio a uma alcateia de lobos?

Discípulos fiéis, distribuidores da graça

O grande bispo e doutor da Igreja, Santo Ambrósio (+397), nos traz uma luz a respeito da missão dos discípulos junto ao mundo: “enviados não como presas, mas como distribuidores da graça”. (2)

Santo Ambrósio em seu estudo – Tama, Palancia, séc. XVI – Metropo

Ora, para serem distribuidores da graça, necessário é serem portadores da graça, pois ninguém dá o que não tem. E para serem portadores da graça, necessário se faz serem seguidores fiéis, fortes e confiantes de Jesus Cristo, sob pena de, ao contrário, serem escravos do mundo, do demônio e da carne.

Eis aqui o sentido genuíno de ser cordeiro em meio aos lobos: conservar e crescer na união com Jesus, amá-lo verdadeira e radicalmente, agindo coerentemente com nossa fé nele e na prática dos Mandamentos. É sendo discípulo autêntico e despretensioso, mais do que dizendo ou operando, que atrairemos para Nosso Senhor aqueles a quem nos propomos fazer apostolado. Este exemplo de vida dos discípulos e missionários é belamente apontado pelo grande Doutor Teólogo da Igreja, São Gregório Nazianzeno : “[…] eles devem ser tão virtuosos que o Evangelho se propague mais pelo modelo de sua vida do que por sua palavra”. (3)

E quais os frutos da missão?

E quais serão os frutos desta evangelização permeada de autenticidade e virtude?

Muitas almas serão atraídas e, não raramente, algo esplêndido se sucede, como observa Mons. João Clá Dias, EP: “A força da graça conferida pelo Salvador à sua grei é tal que muitos ‘lobos’ acabam sendo convertidos em ‘cordeiros’… Exemplo supremo é o de Saulo, fariseu que ‘só respirava ameaças e morte contra os discípulos do Senhor’ (At 9,1), o qual veio a tornar-se o Apóstolo por excelência”. (4)

É verdade, no entanto, que não é unanime a aceitação daqueles a quem se quis fazer o

N. Sra. do Carmo – Colômbia

bem. Mas tal rejeição não deve intimidar o discípulo e missionário do Senhor, pois, conforme está escrito no Evangelho de São João, “O servo não é maior do que o seu senhor. Se me perseguiram, também vos hão de perseguir” (Jo 15, 20).

Tal hostilidade sempre esteve presente ao longo da história da Igreja – e fatos concretos hoje em dia são narrados – pois muitos foram os “lobos” que trucidaram os “cordeiros”. Mas isto pouco importa, ou por outra, importa muito, pois, como diz Mons. João Clá Dias,

“Se a hostilidade chega ao extremo do martírio, a violência se transforma em glória para os cristãos, permitindo-lhes receber o prêmio da fé, na vida eterna”. (5)

A história dos mártires e dos lobos

Eis ai, no decurso da evangelização, a história dos Mártires e dos lobos. Peçamos à Santíssima Virgem, sob invocação de Nossa Senhora do Carmo (6), celebrada neste mês (dia 16), o que cantamos no Hino em seu louvor “Rosa do Carmelo”: “Forte armadura dos guerreiros! Aos que partem para a luta protegei com o escapulário”. (6)

Por Adilson Costa da Costa

 ____________________________

(1) Conferência Nacional dos Bispos do Brasil. Diretório da Liturgia e da organização na Igreja no Brasil – 2013 – Ano C – São Lucas. Brasília: Edições CNBB, 2012, p.125.

(2) Santo Ambrósio. Tratado sobre El Evangelio de San Lucas. L. VII, n. 46. In:  Obras. v. I, Madrid: BAC, 1966, p. 367.

(3) São Gregório Nanzianzeno, apud São Tomás de Aquino. Catena Aurea, In Lucam, c. X. v. 3-4.

(4) Mons. João S, Clá Dias, EP. O inédito sobre os Evangelhos. v. V, Coedição internacional de Città del Vaticano: Libreria Editrice Vaticana, São Paulo: Instituto Lumen Sapientiae, 2012, p. 199-200.

(5) Idem, p. 199.

(6) Para saber mais o leitor pode acessar a matéria: http://www.arautos.org/artigo/13178/O-escapulario-de-Nossa-Senhora-do-Carmo-.html

%d blogueiros gostam disto: